recomeço na relação com Islã - Mundo - iG" /

No Egito, Obama propõe recomeço na relação com Islã

Por Ross Colvin e David Alexander CAIRO (Reuters) - O presidente Barack Obama propôs nesta quinta-feira um recomeço nas relações entre os Estados Unidos e o mundo islâmico, mas não ofereceu nenhuma nova iniciativa para acabar com o conflito israelo-palestino, uma omissão que deve frustrar muita gente.

Reuters |

"Nós nos encontramos em um momento de tensão entre os Estados Unidos e os muçulmanos no mundo todo -- tensão arraigada em forças históricas que vão além de qualquer debate político atual," disse o presidente dos EUA em um discurso na Universidade do Cairo.

"Vim aqui buscar um recomeço entre os Estados Unidos e os muçulmanos no mundo todo, com base no interesse mútuo e no respeito mútuo. A América e o Islã não são exclusivos, e não precisam estar em competição," afirmou.

O discurso é um esforço de Obama para recuperar a imagem dos EUA no mundo islâmico, abalada pelas políticas do seu antecessor George W. Bush, especialmente as guerras do Iraque e Afeganistão e os abusos contra presos em Guantánamo e outros lugares.

Na véspera do discurso, o líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, divulgou mensagem conclamando os muçulmanos a combaterem a presença de cristãos e judeus em seus países.

Obama havia prometido durante sua campanha que, nos primeiros meses de mandato, faria um discurso ao mundo islâmico em uma capital árabe.

Em seu pronunciamento, Obama disse que os palestinos "devem abandonar a violência" e reconhecer o direito de Israel à existência.

Por outro lado, afirmou que "os Estados Unidos não reconhecem a legitimidade dos continuados assentamentos israelenses (na Cisjordânia)." "Essa construção viola acordos prévios e abala os esforços para alcançar a paz. É hora de que esses assentamentos parem."

Antes do discurso, Obama reuniu-se com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, que governa desde 1981 e mantém rígido controle sobre a oposição.

"Discutimos como avançar de forma construtiva para levar a paz e a prosperidade às pessoas da região," disse Obama a jornalistas posteriormente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG