No Chile, Zelaya pede aos EUA mais firmeza contra golpistas

Santiago do Chile, 13 ago EFE).- O presidente derrubado de Honduras, Manuel Zelaya, disse hoje, ao chegar ao Chile, que a comunidade internacional e os Estados Unidos, em especial, devem adotar medidas mais firmes contra o Governo de fato de Roberto Micheletti.

EFE |

No aeroporto de Santiago, onde desembarcou por volta das 13h (de Brasília), Zelaya afirmou que qualquer gesto dos EUA é importante devido ao peso do país na economia hondurenha.

Se o Governo de Washington aplicar "medidas mornas, o golpe não vai ser revertido", ressaltou.

Zelaya, derrubado por um golpe em 28 de junho e substituído na Presidência por Micheletti, chegou ao Chile para um encontro com a presidente Michelle Bachelet.

Em sua primeiras declarações, ele disse que o Chile, "que viveu ditaduras, terrorismo e violência", atuou com conhecimento de causa ao repudiar o golpe em Honduras e apoiar a democracia.

Além de destacar a "coragem" do secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, por ter tentado uma solução para o conflito, Zelaya acusou o regime de Micheletti de ter "desprezado" o chileno quando este foi a Tegucigalpa. EFE ns/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG