No Chile, pesquisa dá vantagem de cinco pontos a opositor no segundo turno

SANTIAGO DO CHILE - O empresário Sebastián Piñera, candidato da opositora Coalizão pela Mudança à presidência do Chile, aparece cinco pontos porcentuais à frente do governista Eduardo Frei, da Concertación, em uma pesquisa sobre o segundo turno da disputa, marcado para 17 de janeiro.

Agência Ansa |

O estudo, realizado pela Universidade do Desenvolvimento e pelo diário "La Segunda", dá a Piñera, um dos homens mais ricos do país, 48% das intenções de voto, contra 43% de Frei, que já foi presidente entre 1994 e 2000. Além disso, 9% dos entrevistados revelaram que não votarão em nenhum dos dois.

O favoritismo de Piñera também foi confirmado pela percepção dos eleitores ouvidos. Para 59% deles, o empresário será o novo presidente do país. Outro fator que favorece o opositor é seu índice de rejeição de 35%, inferior ao atribuído a Frei (49%).

No primeiro turno das eleições, realizado no último domingo, Piñera obteve 44% dos votos, contra 29% de Frei. Em terceiro lugar ficou o independente Marco Enríquez-Ominami, que foi a opção de 20% dos eleitores e anunciou que não apoiará nenhum dos dois candidatos.

A pesquisa foi realizada na última quarta-feira, entre 17h e 22h, quando foram consultadas 1.203 pessoas. Deste total, 80% garantiram que já decidiram em quem votarão.

Caso vença a disputa, Piñera colocará fim a 20 anos de hegemonia da aliança de centro-esquerda Concertación, que desde 1990 - quando chegou ao fim a ditadura do general Augusto Pinochet - elegeu quatro presidentes.

Leia mais sobre Chile

    Leia tudo sobre: chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG