No 1o discurso como ex-presidente, Bush é alvo de protestos

CALGARY, Canadá (Reuters) - Mais de cem manifestantes dirigiram gritos de criminoso de guerra e atiraram sapatos na terça-feira em Calgary, no Canadá, para protestar contra a presença na cidade do ex-presidente norte-americano George W. Bush, que fez ali o seu primeiro discurso desde que deixou a Casa Branca, em 20 de janeiro. Pelo menos dois manifestantes foram detidos, enquanto 1.500 executivos dessa cidade petroleira esperavam durante uma hora em frente a um centro de convenções para passar pela rígida segurança e entrar no almoço, a um preço de 400 dólares canadenses por pessoa (315 dólares norte-americanos).

Reuters |

A imprensa foi barrada no evento, só para convidados, em que Bush deveria refletir sobre seus oito anos como presidente.

"Ele é um criminoso de guerra que travou uma guerra ilegal, e há quem diga que nunca foi eleito democraticamente, então há quem diga que deveria ser preso assim que chegar aqui", disse uma mulher, vestida como prisioneira de Guantánamo, que se identificou como Ivana Nomobush.

Ela trouxe consigo um "canhão de sapatos", uma espécie de catapulta de calçados que foi barrado pela segurança. Os sapatos inspiraram muitos protestos por causa do gesto do jornalista iraquiano Muntazer al-Zaidi, condenado na semana passada a três anos de prisão por ter atirado seus calçados contra Bush em dezembro em Bagdá.

A reação a Bush é muito diferente da recepção oferecida no mês passado ao atual presidente dos EUA, Barack Obama, bajulado explicitamente por cidadãos comuns e políticos canadenses ao fazer sua primeira visita oficial ao exterior.

Mas houve quem fosse manifestar apoio a Bush, que deixou o cargo com baixíssima popularidade, em meio a duas guerras e uma grave recessão.

"Queríamos saudar George W. Bush e fazer com que saiba que nem todos se opuseram à sua Presidência", disse Jeff Willerton, que segurava um cartaz pró-Bush. "Acho que sob tais circunstâncias ele foi um dos melhores presidentes que poderíamos pedir."

Calgary, centro da indústria petrolífera canadense, é uma das cidades mais conservadoras do Canadá. O vereador Joe Ceci, contrário à visita, admitiu que o interesse dos executivos mostra que Bush ainda é capaz de atrair multidões.

"Mas é esta multidão que me interessa mais", disse Ceci, apontando os manifestantes. "Simplesmente ver os calgarienses interessados, conscientes e se manifestando, se manifestando por coisas antiguerra."

(Reportagem de Jeffrey Jones)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG