(Embargada até as 15h de Brasília) Londres, 15 mar (EFE).- A costa nordeste dos Estados Unidos, especialmente a cidade de Nova York, é uma das áreas mais vulneráveis diante do aquecimento global e onde o nível do mar poderia aumentar entre 36 e 51 centímetros nos próximos 90 anos, segundo um estudo publicado hoje pela revista Nature Geoscience.

Assim afirma uma equipe de pesquisadores da Universidade da Flórida (EUA) dirigida por Jianjun Yin, que chegou a esta conclusão após analisar uma série de cenários para o futuro que contemplam diferentes graus de emissão de gases que intensificam o efeito estufa.

A identificação da costa nordeste americana, precisamente da Big Apple, como uma das áreas que serão mais afetadas pela mudança climática deve-se ao arrefecimento das correntes marinhas no Atlântico Norte.

Este fato representaria por si só um aumento do nível do mar entre 15 e 23 centímetros, quase a metade do aumento previsto no total.

Assim, o mar ganhará em Nova York o dobro de avanço à terra em comparação ao resto do mundo.

Durante os últimos anos, e especialmente nos últimos meses, os cientistas reiteraram sua preocupação com o veloz aumento do nível do mar e alertaram que, mesmo que os Estados conseguissem frear a emissão de gases poluentes, o mar avançará à terra cada vez mais rápido durante este século.

Além disso, os especialistas conseguiram estabelecer uma relação direta entre o gelo nos pólos e a profundidade dos oceanos.

Neste sentido, um recente estudo da Universidade do Oregon (EUA) afirma que o aquecimento global poderia causar o colapso do manto de gelo na Antártida ocidental, além de inundações no litoral da América do Norte e nas nações do Oceano Índico. EFE avh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.