Nível do mar pode subir 1,5 m até fim do século, diz estudo

Uma nova análise de uma equipe de cientistas britânicos e finlandeses afirma que o nível dos oceanos pode aumentar em 1,5 metro até o final deste século. A descoberta do grupo de pesquisadores foi apresentada em uma conferência de ciência em Viena, na Áustria.

BBC Brasil |

Esta previsão é substancialmente maior do que a que foi feita em 2007 pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), que previu um aumento do nível do mar entre 28 e 43 centímetros até 2100.

O aumento do nível do mar de até 1,5 metro poderia ter um grande impacto em países mais baixos, como Bangladesh.

A nova análise foi feita pela equipe de cientistas que construiu um modelo, no computador, que relaciona temperaturas aos níveis do mar nos últimos 2 mil anos.

"Nos últimos 2 mil anos (a média global) do nível do mar foi muito estável, variou apenas cerca de 20 centímetros", afirmou Svetlana Jevrejeva, do Laboratório Oceanográfico Proudman, nos arredores de Liverpool, na Grã-Bretanha.

"Mas, no final do século, prevemos que (o nível do mar) deve subir entre 80 centímetros e 1,5 metro. O aumento rápido nos próximos anos está associado ao derretimento rápido das camadas de gelo", acrescentou a cientista.

A estimativa do grupo de pesquisa não é a primeira a sugerir que a previsão do IPCC é conservadora.

O IPCC não conseguiu incluir a contribuição do derretimento "acelerado" do gelo dos pólos devido ao aumento da temperatura da água, pois os processos envolvidos ainda não foram totalmente compreendidos.

As projeções feitas por Svetlana Jevrejeva foram publicadas na revista especializada Proceedings of the National Academy of Sciences.

Romanos
A cientista Svetlana Jevrejeva afirmou a jornalistas na reunião anual da União Européia de Geociência que o modelo criado por computador é capaz de imitar com precisão os níveis do mar e das marés nos últimos 300 anos.

Existem poucas informações a respeito dos níveis do mar nos milhares de anos antes deste período.

"Existem algumas provas arqueológicas (baseadas) na altura dos parapeitos de cercados construídos para peixes, usados pelos romanos."
"Esta é, provavelmente, a prova mais forte de que não houve nenhuma mudança significativa no nível do mar nos últimos 2 mil anos", afirmou Simon Holgate, do Centro de Oceanografia Proudman, que não participou do estudo.

Groenlândia
Os últimos dados de satélite indicam que as camadas de gelo da Groelândia e do oeste da Antártica estão perdendo massa. Mas, a parte leste (que é maior) pode estar ganhando massa.

O derretimento total da Groenlândia e do oeste da Antártica elevaria o nível do mar em vários metros, ma o processo, se ocorrer, levaria muitos séculos.

"Sabemos o que está acontecendo hoje, com informações de satélite, mas tentar prever o que isto significará no futuro, é muito divídil", afirmou Steve Nerem, da Universidade do Colorado, que também pesquisa a área de aumento do nível do mar.

"Existem muitas provas de que vamos ver pelo menos um metro de aumento do nível do mar até 2100", acrescentou.

Mas, o aumento do nível do mar de apenas um metro pode ter grandes conseqüências para países mais baixos. Especialmente aqueles cujas economias não estão preparadas para construir sistemas sofisticados de barreiras marítimas, segundo o cientista Simon Holgate.

"Entre 80% e 90% de Bangladesh está dentro de um metro ou mais do nível do mar", afirmou. "Então, se você vive no delta do (rio) Ganges, você terá problemas, e existe um número grande de pessoas (vivendo nesta área)."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG