Níveis de alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS)

A Organização Mundial da Saúde (OMS), que coordena as situações de emergência sanitária entre seus 194 membros, criou um sistema de alerta contra as grandes infecções de origem animal, que conta com seis níveis.

AFP |

O nível atual para a gripe suína é de 3, o que indica o "potencial pandêmico" da enfermidade, cujo epicentro se encontra no México, mas a OMS poderá elevá-lo nesta segunda-feira. O estado da pandemia só é declarado no nível 6, o último e mais elevado.

Segundo a nova escala da OMS, elaborada em 2005 ante a ameaça da gripe aviária, os três primeiros níveis correspondem a uma fase de preparação frente a uma infecção que diz respeito majoritariamente aos animais, com poucos vítimas entre os seres humanos.

Na fase 2, o vírus da gripe de origem animal contamina os primeiros seres humanos, enquanto o nível 3 é declarado quando o vírus está ativo em vários focos, mas ainda não é transmitido maciçamente entre os seres humanos. Neste nível, os especialistas consideram a pandemia possível.

A fase 4 indica um "crescimento significativo" do risco pandêmico, explica a OMS, com a transmissão comprovada de homem para homem de um vírus capaz de provocar uma epidemia dentro de uma comunidade. Os países afetados devem informar à organização mais rapidamente possível. No entanto, essenível não implica que a pandemia seja inevitável.

Segundo a organização, a ativação do nível 5 é "um sinal forte da iminência de uma pandemia" e de que resta muito pouco tempo para se preparar para enfrentá-la. Nesse nível, a enfermidade tem focos em mais de dois países de uma mesma região.

Finalmente, o nível 6 é ativado quando a epidemia é declarada oficialmente. Segundo os critérios fixados pela OMS, é necessário que duas regiões distintas do mundo sejam afetadas pelo vírus.

O processo para passar de um nível para outro está nas mãos do "Comitê de Emergência do Regulamento Sanitário Internacional", uma instância integrada por especialistas internacionais convocdos pela OMS.

Sua função é determinar o processo que devem seguir todos os países e autoridades no mundo, assim como as ações que devem ser aplicadas em caso de emergência.

Reunido pela primeira vez no sábado, o Comitê classificou as primeiras informações sobre a gripe suína de situação séria e declarou que se trata de uma emergência de saúde pública de alcance internacional.

O que significa, na codificação da OMS, que a situação reclama uma atenção particular e uma vigilância maior parte de todos os países.

Estimou, no entanto, que são necessárias mais informações para elevar o nível de alerta para a fase 4.

at/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG