Nigerianos foram às urnas neste sábado para preencher as 360 cadeiras na Câmara e outras 109 no Senado

Muçulmana vota na cidade nigeriana de Ibadan
AP
Muçulmana vota na cidade nigeriana de Ibadan

A população da Nigéria foi às urnas neste sábado para votar em uma eleição parlamentar marcada por ataques violentos, atrasos e desorganização.

Após um ataque a uma comissão eleitoral na sexta-feira, a segurança foi reforçada, mas novos incidentes foram registrados. Na manhã deste sábado, uma explosão em uma zona eleitoral no nordestes do país teria deixado dez mortos, segundo testemunhas.

Os postos de checagem de segurança foram espalhados em todo o país, com muitas cidades desertas, fronteiras fechadas e voos cancelados. Os resultados devem ser conhecidos em dois dias.

Cerca de 73,5 milhões de nigerianos estão aptos a votar votar e o partido do presidente Goodluck Jones, o Partido Democrático Popular (PDP), tenta manter a maioria do Parlamento do país. Os eleitores nigerianos votaram para preencher 360 cadeiras na Câmara Baixa do Parlamento e outras 109 no Senado.

A votação começou no sábado passado. Milhões estavam nas filas das zonas eleitorais quando foi descoberto que as cédulas estavam em falta em algumas partes do país, levando a atrasos.

Por isso, a eleição presidencial foi adiada para 16 de abril e a votação para governadores estaduais ficou para o dia 26.

Com BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.