Nigéria confirma 41 mortes em confronto com radicais islâmicos

LAGOS - A polícia da Nigéria confirmou nesta segunda-feira a morte de 41 pessoas nos confrontos travados no domingo com membros do grupo radical Boko Haram no estado de Bauchi (norte).

Redação com agências internacionais |

Moses Anegbode, assistente do inspetor-geral da polícia, afirmou à imprensa que o ataque a uma delegacia por parte de rebeldes do Boko Haram causou a morte de um policial, um soldado e 39 membros do grupo, contrário ao sistema educacional do Ocidente e que apoia a aplicação da "sharia" (lei islâmica) no país.

Anegbode confirmou ainda que a violência chegou a Estados que fazem divisa com Bauchi, como os de Borno e Yobe. Neste último, membros do Boko Haram atacaram nesta segunda-feira uma delegacia da localidade de Potisku, segundo a Polícia.

Numa entrevista, o porta-voz também destacou que, nos últimos dias, 176 pessoas foram detidas na cidade. Nas operações, a polícia, apreendeu 200 detonadores, material para a fabricação de explosivos, dezenas de bombas e pelo menos um fuzil AK-47.

Já em Borno, as autoridades temem uma represália às 39 mortes de ontem, já que na região vive o líder, do Boko Haram, Mohammed Yousef.

Leia mais sobre Nigéria

    Leia tudo sobre: nigéria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG