Niemeyer apresenta projeto para biblioteca na Argélia

Rio de Janeiro, 21 mai (EFE).- O arquiteto Oscar Niemeyer apresentou hoje no Rio de Janeiro, através de um representante de seu estúdio, a proposta para a futura Biblioteca dos Países Árabes e da América do Sul, que será construída na Argélia.

EFE |

A apresentação foi realizada dentro da 2ª Reunião de Ministros da Cultura da América do Sul e dos Países Árabes, que tem como objetivo ampliar a cooperação entre ambos os blocos.

O representante do estúdio de arquitetura de Niemeyer explicou que a proposta procura "a beleza da assimetria" e se baseia na surpresa e na emoção, porque, caso contrário, "não seria uma obra de arte".

Aos 101 anos, Niemeyer segue criando em seu estúdio projetos de obras para o Brasil e o exterior.

O projeto é composto por um edifício central onde ficaria a biblioteca e, de cada lado do prédio, unidos por uma estrutura curva, um auditório e uma sala de exposições.

Também está incluído um espaço para que os pesquisadores que vão à biblioteca possam se instalar para realizar seus trabalhos.

A grande biblioteca será feita em uma superfície de cinco hectares na cidade litorânea de Zeralda, perto da capital argelina, e o financiamento da construção será feito pela Argélia.

No projeto, participam os 24 países da Liga Árabe e 12 da América do Sul, embora a comissão encarregada de concretizá-lo tenha uma composição mais reduzida.

O representante de Niemeyer ressaltou durante a apresentação do projeto os fortes laços que unem o arquiteto com a Argélia, país que, segundo disse, "o acolheu como um irmão quando teve que deixar o Brasil há 30 anos". EFE edv/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG