Nicarágua: Honduras planeja acusação de agressão armada

Washington, 4 jul (EFE).- O embaixador nicaraguense perante a Organização dos Estados Americanos (OEA), Denis Moncada, denunciou hoje planos macabros dos setores golpistas de Honduras para acusar os Governos da Nicarágua, Cuba e Venezuela de promover uma agressão armada contra si.

EFE |

O diplomata tomou a palavra depois que o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, informou à Assembleia Geral Extraordinária das gestões fracassadas com Honduras após o golpe de Estado no país no domingo, e pediu a suspensão da participação de Tegucigalpa no organismo.

"Os golpistas estão preparando planos encaminhados para responsabilizar e acusar os Governos de Manágua, Havana e Caracas de promover uma agressão armada a Honduras desde Nicarágua", destacou.

"Esse plano estaria sendo pensado com o apoio de meios de comunicação controlados por golpistas para gerar um estado de opinião que tenda a culpar de antemão os setores e Governos que apoiam o presidente (deposto Manuel) Zelaya pela ocorrência dos fatos sangrentos que pensam realizar", explicou.

"Parte deste plano é acusar nosso Governo da provisão de armas e apetrechos a simpatizantes do presidente Manuel Zelaya com as quais se atacarão as forças policiais, militares e as forças de (Roberto) Micheletti, que lidera o Governo de fato", denunciou também o embaixador nicaraguense perante a OEA.

Neste sentido, Moncada desmentiu que estes planos existam.

"Não é certo, é falso que nosso país, Cuba, e Venezuela estejam fornecendo ou pretendam fornecer armas a algum grupo irregular, de qualquer tipo que seja". EFE cae/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG