News Corp., império midiático de Rupert Murdoch

Grupo do News of the World, denunciado por escutas ilegais, tem US$ 60 bilhões em ativos e 175 títulos, incluindo The Times e Wall Street Journal

AFP |

O News Corp., o grupo que fechará seu tabloide News of the World no domingo, depois de um escândalo envolvendo escutas telefônicas, é um império midiático e de entretenimento construído por seu fundador, Rupert Murdoch.

Cobrindo uma enorme região geográfica, cotado na bolsa de Sydney e Nova York, o grupo se distingue pela diversidade de suas atividades, que abrangem de TV a jornais, do cinema à internet, também contando com ícones da imprensa conservadora como The Times e Wall Street Journal e tabloides sensacionalistas como News of the World e New York Post.

À frente do conglomerado, Rupert Murdoch, 80 anos, seu presidente-executivo e "self made man" nascido na Austrália, mantém as rédeas de um império de US$ 60 bilhões em ativos e um volume de negócios anual de US$ 33 bilhões no exercício encerrado no fim de junho.

Depois de herdar de seu pai em 1952 a direção do jornal The Adelaide News em seu país nativo,  Murdoch partiu nos anos 1960 para a disputa com a imprensa britânica. Na Inglaterra, adquiriu primeiramente o News of the World e depois o The Sun - o tabloide mais popular da atualidade -, o tradicional The Times e o Sunday Times. Também possui, entre outros 175 títulos, o The Australian.

Nos Estados Unidos, país onde reside e se tornou cidadão, sua cadeia de notícias a cabo Fox News, que durante a invasão ao Iraque superou a pioneira CNN em audiência, jamais ocultou seu apoio ao governo do republicano George W. Bush.

Além da cadeia Fox, o grupo News Corp. impôs-se na televisão a cabo na Europa (BSkyB na Grã-Bretanha ou Sky na Itália, nascida da fusão Stream/Telepiu) e também na Ásia, com sua filial Star TV.

Murdoch tem interesses no mundo editorial (HarperCollins) e no cinema com os estúdios Twentieth Century Fox, que produziu êxitos mundiais como Guerra nas Estrelas e Titanic.

Em julho de 2005, a compra do site MySpace por US$ 580 milhões foi um fiasco, já que, segundo veículos da imprensa americana, foi revendido por apenas US$ 30 milhões. Em 2007, um dos maiores êxitos do grupo foi a compra da Dow Jones e do Wall Street Journal por um total de US$ 5,6 bilhões.

Murdoch, que instalou em 2004 a sede do grupo em Nova York, transfere cada vez mais suas responsabilidades a seus dois filhos: James, 38 anos, presidente da News International, o braço britânico do grupo News Corp., e Elizabeth, 42 anos, que entrou no conselho de administração após a aquisição por parte do grupo de sua empresa de produção Shine, no início do ano. Por outro lado, seu filho mais velho, Lachlan, deixou o conglomerado em 2005.

    Leia tudo sobre: news of the worldgramposmurdochnews corp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG