Neve prejudica voos e fecha escolas na Grã-Bretanha pelo 2o dia

Por Kate Kelland LONDRES (Reuters) - A noite gelada e a previsão de mais nevasca para esta terça-feira na Grã-Bretanha causaram o fechamento de escolas e o cancelamento ou atraso de centenas de voos pelo segundo dia consecutivo em todo o país.

Reuters |

No sudeste da Inglaterra, milhões de britânicos voltaram ao trabalho depois dos transtornos da véspera nos transportes, que lentamente voltaram a operar. Mas dezenas de milhares de crianças ganharam mais um dia de folga, porque escolas de todo o país permaneceram fechadas.

"Não dá para acreditar. Amo a neve", disse Benedict Shorthose, de 6 anos, animado com a perspectiva de mais um dia fazendo guerras de bolas de neve na embranquecida Londres.

Já as empresas ficaram irritadas com as falhas de infraestrutura que provocaram tantos prejuízos após a nevasca de segunda-feira, a mais forte no sul da Inglaterra desde 1991.

Especialistas estimam que 6,4 milhões de pessoas faltaram ao trabalho na segunda-feira, e alertaram que um outro dia de transtornos poderia provocar prejuízos equivalentes a 1,7 bilhão de dólares, numa economia que já está em recessão.

Depois das críticas sobre a quase paralisação de ônibus e metrôs na segunda, o órgão municipal de transportes em Londres divulgou nesta terça-feira boletins sobre "o bom nível de serviços na grande maioria do metrô e da rede de ônibus."

O Heathrow e outros aeroportos importantes do país estão abertos, mas órgão que os administra disse que muitos voos serão cancelados ou adiados.

O serviço meteorológico oficial divulgou um alerta aos motoristas por causa da possibilidade de derrapagem nas estadas cobertas de gelo, e disse que há possibilidade de nevascas fortes e tempo muito ruim em várias partes da Escócia.

David Frost, diretor-geral da Câmara de Comércio Britânica, acusou as autoridades de complacência e falta de planejamento. "Há mais tempo estranho vindo, e não devemos simplesmente nos esquivar. Deveria haver mais planejamento a respeito", disse ele à rádio BBC.

"Quando algo assim acontece, somos grandemente apanhados de surpresa", acrescentou.

Diante das imagens de Londres coberta por alguns centímetros de neve, analistas fizeram comparações com os bombardeios sofridos durante a 2a Guerra Mundial.

"Nem mesmo a Luftwaffe (aviação da Alemanha nazista) parou os ônibus da capital", resmungou um editorial do Daily Telegraph. "O primeiro instinto do setor público nesses dias é desistir, em vez de enfrentar os elementos."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG