Neve no teto provoca retirada de 2 mil de aeroporto em Paris

Frio força cancelamento de voos na França e também traz problemas para o sistema de transportes de Alemanha, Bélgica e Holanda

iG São Paulo |

Quase 2 mil pessoas foram retiradas nesta sexta-feira do terminal 2E do aeropuerto parisiense Charles de Gaulle, terceiro maior da Europa, em consequência do excesso de neve no teto, o mesmo que desabou em 2004.

A retirada, uma medida de precaução em consequência do acúmulo de 60 centímetros de neve no teto, aconteceu de maneira calma, segundo uma fonte aerportuária. A intervenção dos bombeiros, que foram mobilizados para retirar a neve do teto, estava prevista para terminar ao meio-dia de Brasília.

Em 23 de maio de 2004, semanas depois da inauguração, o teto do terminal 2E do aeroporto Charles de Gaulle desabou em 30 metros e provocou a morte de quatro passageiros estrangeiros. As 2 mil pessoas passaram a noite de quinta-feira nos terminais do Roissy-Charles de Gaulle em meio ao caos provocado pelas nevascas, o frio e a falta de anticongelante para os aviões.

Cancelamento de voos

Centenas de voos foram cancelados nesta sexta-feira no Roissy-Charles de Gaulle , enquanto os transportes ferroviário e por estrada registram problemas por causa do terceiro temporal de neve no mês, informaram as autoridades.

A Aviação Civil francesa anunciou o cancelamento de 35% dos voos previstos para esta tarde (cerca de 400, sendo a metade de saída e a metade de chegada) no aeroporto, após de ter pedido o corte pela metade dos voos desta manhã por causa dos problemas derivados do temporal de neve.

Um porta-voz da organização assegurou que o problema essencial é a falta de líquido anticongelante para os aviões, que não chega ao aeroporto por causa dos problemas de circulação que os caminhões encontram.

Por enquanto, a Aviação Civil não prevê cancelamentos suplementares além das já anunciadas, pois há expectativa de que o abastecimento de anticongelante volte ao normal.

Orly, o outro aeroporto de Paris, mantém-se o programa previsto para o dia de 560 voos, embora estejam sendo registrados atrasos.

Nos serviços ferroviários não estão previstas anulações, mas sim atrasos importantes, sobretudo nas linhas do leste e do sudeste do país. A empresa pública de ferrovias SNCF reforçou os serviços às vésperas do Natal.

A circulação nas estradas é complicada em diversos departamentos, 21 dos quais estão em alerta por causa da neve. Os problemas afetam sobretudo a rede secundária, embora as autoridades tenham pedido prudência também nas grandes estradas do país.

Problemas na Alemanha

O gelo bloqueou várias rodovias e ferrovias na manhã desta sexta-feira na Alemanha, enquanto a meteorologia prevê mais nevascas para o norte do país.

O tráfego ferroviário foi interrompido durante várias horas durante a madrugada desta sexta-feira na linha Hannover-Berlim, centro do país, em consequência do gelo na via. Além disso, uma pessoa morreu e 10 ficaram feridas em um engavetamento de 51 veículos na autoestrada A9 entre Berlim e Munique.

A neve e o gelo provocaram engarrafamentos de 100 quilômentros na quinta-feira à noite nos dois sentidos da A2, que liga Hannover a Saxônia-Anhalt, no leste do país. A rodovia entre Berlim e Hamburgo estava fechada nesta sexta-feira em consequência dos acidentes.

Enquanto no aeroporto internacional de Frankfurt o tráfego era praticamente normal nesta sexta-feira, com o cancelamentos de apenas alguns voos com destino a Paris, o de Düsseldorf - o terceiro maior do país em tráfego aéreo - ficou fechado nas primeiras horas da manhã em consequência das fortes nevascas.

A administração do terminal informou que, até as 8h (de Brasília), haviam sido suspensos 65 voos do total de 335 previstos desde a meia-noite.

No norte do país, os principais problemas com o sistema de transporte pelo mau tempo aconteceram com passageiros de trens. Durante a madrugada, alguns deles tiveram a viagem interrompida na rota Berlim-Hannover, pois os trilhos ficaram cobertos de neve. Cinco trens, entre eles quatro de alta velocidade, tiveram de ser rebocados até as estações mais próximas para evacuar os passageiros.

Problemas na Bélgica

O aeroporto de Bruxelas decidiu suspender, pelo menos até as 15h (13h de Brasília) desta sexta-feira, a aterrissagem de voos em suas pistas para dar prioridade às decolagens, que sofrem muitas dificuldades por causa da neve que cai na Bélgica. "Atualmente tudo está preparado para permitir a decolagem do máximo de aviões, mas a situação evolui lentamente", explicou o porta-voz do aeroporto.

O aeroporto tem todas suas pistas abertas, mas as atividades estão muito desaceleradas por causa do mau tempo. Por enquanto, os voos com destino a Bruxelas são desviados para outros aeroportos. As saídas previstas para esta sexta-feira, segundo informa o aeroporto internacional belga em seu site, estão em sua maioria atrasadas ou canceladas.

Enquanto isso, o aeroporto de Bruxelas Sul-Charleroi foi reaberto após se ver obrigado a suspender suas operações na quinta-feira, provocando o cancelamento de 18 voos e deixando em terra cerca de 2 mil pessoas.

Também opera, embora com algumas restrições, o aeroporto de Liège, no leste do país. Na vizinha Holanda, os aeroportos de Eindhoven e Maastricht também tiveram de fechar esta manhã por causa das fortes nevascas no sul do país.

Nas rodovias e ferrovias da Bélgica, o caos também reinava por causa da neve acumulada durante a madrugada que chegava a 20 centímetros em algumas regiões. Na capital Bruxelas, ônibus e táxis não tinham condições de circular pelas ruas.

Na véspera do Natal, os trens circulavam, mas com muitos atrasos e cancelamentos por culpa das nevascas. Nas estradas de todo o país, mas especialmente na Valônia, carros e caminhões foram abandonados pelas dificuldades de superar a neve e o gelo.

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: neveeuropacaos aéreofrançabélgicaalemanhaholanda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG