Neve na Europa danifica infraestrutura e redes de transporte

Frio causa caos no tráfego em toda a Europa, bloqueando estradas e deixando milhares isolados na Sérvia e Bósnia

iG São Paulo |

Os problemas na infraestrutura e nas redes de transporte se multiplicam na Europa como consequência da onda de frio e neve que há dez dias não dá trégua ao continente, enquanto continua aumentando o número de mortos, que supera os 250. O frio causou caos no tráfego em toda a Europa , bloqueando estradas e forçando o fechamento de aeroportos do Reino Unido à Rússia.

Leia também: Inverno rigoroso causa mortes e afeta transportes na Europa

AP
Mulher encapuzada se protege com lenço de frio e neve em Skopje, Macedônia (06/02)
Saiba mais: Forte nevasca afeta transportes no Reino Unido

Em meio a níveis recordes de neve e a temperaturas baixíssimas, a Sérvia e a Bósnia fecharam escolas nesta segunda-feira e tiveram trabalho para manter funcionando o transporte público e o serviço de coleta de lixo, ao mesmo tempo em que o governo tentou ajudar milhares de presos nas vilas em regiões remotas de montanha.

Na noite de domingo, o governo sérvio declarou uma situação de emergência, dizendo que a intensa queda de neve prejudicou o funcionamento normal do país. Funcionários de emergência disseram que 70 mil estão isolados por causa da neve. Na Bósnia, centenas de vilas estão isoladas por estradas cheias de neve e avalanches, e as autoridades usam helicópteros para retirar os doentes e entregar alimentos.

Na madrugada de domingo, foram resgatados a 100 km de Sarajevo os integrantes da equipe de basquete da equipe sérvia Hemofarm, cujo ônibus ficou bloqueado durante 30 horas em um túnel por conta do acúmulo de neve.

Apenas nos três países mais atingidos pela onda de frio, Ucrânia, Polônia e Romênia, contabilizou-se no domingo ao menos mais 23 mortes, em sua maioria sem-tetos, com o total de vítimas fatais chegando a 131, 53 e 34, respectivamente. Na Ucrânia, o país mais duramente atingido, a temperatura chegou nesta segunda a 36 graus negativos, com cerca de 2,3 mil tendo buscado tratamento por causa de ulcerações por frio ou hipotermia.

As autoridades mantêm seus respectivos dispositivos de ajuda e, nos três países, foram estabelecidos milhares de centros de amparo nos quais os cidadãos podem se proteger do frio. As fortes nevascas que castigam a Europa desde 27 de janeiro também causam graves contratempos nas estradas, no transporte aéreo e ferroviário, bem como no fornecimento de energia.

Na França, há 75 departamentos em alerta e as autoridades da região de Paris, onde caíram as primeiras nevascas, recomendaram que os cidadãos não utilizem o carro até que a neve seja removida das ruas e estradas.

Na Itália, ocorreram 18 mortes pela onda de frio, e as nevascas provocaram interrupções no tráfego e deixaram ao menos 80 mil famílias sem luz no centro e sul do país. O transporte público em Roma ficou praticamente paralisado como consequência das fortes tempestades de neve que caem desde sexta.

No tráfego ferroviário e aéreo ocorreram inúmeros atrasos, que no caso dos trens chegaram a 12 horas, e alguns cancelamentos de voos, como em Roma, onde nove foram suspensos.

Assista ao vídeo sobre os efeitos do frio na Sérvia:

O Reino Unido foi o país da Europa ocidental que registrou mais cancelamentos de voos no domingo. Por causa das previsões meteorológicas, que anunciavam para o domingo fortes nevascas, o aeroporto de Heathrow decidiu no sábado cancelar um terço dos voos programados para o dia. Por sua vez, o aeroporto de Birmingham suspendeu seis voos e desviou 11 a outros terminais aéreos do país.

A pista de aterrissagem do aeroporto de Stansted foi fechada temporariamente para limpar a neve acumulada e, como Londres amanheceu coberta de neve, também houve transtornos para os automóveis e especialmente os ônibus.

Rússia

Uma nova onda de frio deve castigar a parte europeia da Rússia a partir de terça-feira com temperaturas em torno dos 30 graus negativos, informou nesta segunda-feira o Serviço Hidrometeorológico (SH) russo. "Com a alta pressão atmosférica o frio deverá aumentar um pouco e as temperaturas noturnas alcançarão entre 18 e 25 graus abaixo de zero, em alguns casos até 29 graus abaixo de zero", de acordo com o comunicado do SH.

Leia também: Rompimento de dique deixa mortos no sul da Bulgária

Durante o dia, as temperaturas oscilarão entre 11 e 16 graus negativos, informou o SH. A pressão atmosférica ficará próxima do recorde histórico antes de quarta-feira, conforme as previsões do SH. As temperaturas caíram no fim de janeiro aos mínimos históricos na parte europeia da Rússia, com registros em torno dos 30 graus sob zero.

Em janeiro, ao menos 64 pessoas morreram na Rússia de hipotermia, declarou o vice-ministro da Saúde russo, Maxim Topilin, nesta segunda-feira. Cerca de 800 pessoas foram hospitalizadas com sintomas de congelamento parcial e hipotermia.

Frio na Argélia

Um temporal que atingiu a Argélia nos últimos três dias, caracterizado por chuvas e incomuns tempestades de neve, causou ao menos 16 mortes e mais de 120 feridos, indicaram números divulgados nesta segunda-feira pela imprensa nacional. Pelos dados oficiais, houve ao menos 175 acidentes de trânsito causados pelo mau tempo, especialmente pela neve em 31 das 48 províncias argelinas, deixando dezenas de localidades isoladas.

No nordeste do país, uma das regiões mais afetadas, 77 mil casas sofreram cortes de energia elétrica entre sábado e domingo. O mau tempo afetou o funcionamento das escolas, que foram fechadas pela neve em muitas províncias por precaução e pela impossibilidade de usar os meios de transporte.

Nas províncias de Bejaia e Kabilia, ao leste de Argel, as autoridades locais pediram a intervenção do Exército para retirar e ajudar a população de localidades montanhosas.

O Escritório de Meteorologia da Argélia informou nesta segunda que nas próximas 48 horas as condições climáticas devem melhorar, apesar de ter alertado sobre novos temporais, acompanhados de neve, e de uma queda de temperatura a partir de quarta-feira.

*AP, EFE e AFP

    Leia tudo sobre: invernonevenevascaonda de frioinvernoeuropaargélia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG