O cancelamento em massa de voos na Europa devido ao mau tempo se somou, nesta terça-feira, às estradas bloqueadas pela neve e aos atrasos dos trens para o caos total causado pelo rigoroso inverno, atrapalhando os planos de milhares de viajantes no início deste período de festas de fim de ano.

Os europeus que tentaram fugir das estradas cobertas de neve e dos trens atrasados - com direito a uma suspensão de três dias nos serviços do Eurostar, que liga a Grã-Bretanha ao continente - não encontraram situação muito melhor nos aeroportos, onde várias pistas cobertas de gelo foram interditadas e fortes nevascas impediram a decolagem de centenas de aviões.

Os temporais já causaram a morte de pelo menos 90 pessoas na Europa - 10 delas na Polônia só nesta terça-feira -, a maioria homens sem-teto, que morreram congelados na rua sob temperaturas de até -20°C.

Enquanto o Eurostar, que faz a rota Londres-Paris por um túnel sob o canal da Mancha, retomava aos poucos suas linhas nesta terça, a companhia aérea Easyjet precisou cancelar 180 voos devido às nevascas e ao fechamento de vários aeroportos. A irlandesa Ryanair cancelou 65 voos.

A Bristish Airways também cancelou "um pequeno número" de rotas curtas devido a transtornos causados pelas fortes precipitações de neve na segunda-feira, que obrigaram o fechamento do segundo maior aeroporto comercial do Reino Unido, o London Gatwick, por várias horas.

A EasyJet alertou para "graves transtornos com vários cancelamentos" em Gatwick, Fiumicino (Roma), Barajas (Madri) e Charles de Gaulle (Paris).

O aeroporto Luton, também em Londres, passou a noite fechado.

O aeroporto de Frankfurt, terceiro maior da Europa em tráfico aéreo, ficou fechado por quatro horas durante a noite de segunda-feira devido ao gelo nas pistas.

Cerca de 5.000 passageiros foram levados para hotéis próximos, enquanto outros 3.000 precisaram passar a noite nos terminais ou até dentro dos aviões até que as decolagens fossem liberadas.

Na Itália, o aeroporto Malpensa de Milão permaneceu fechado até a tarde desta terça-feira por causa de uma violenta nevasca, enquanto o terminal de Linate, também no norte italiano, operava com muitas limitações. A Alitalia, que opera 75% dos voos deste terminal, cancelou todos os pousos e decolagens.

burs-ar/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.