Nevascas na Europa e na América do Norte atrapalham negócios

Por Michael Hirtzer e Meredith Davis CHICAGO/HAMBURGO (Reuters) - Rajadas de ventos do Ártico acompanharam as nevascas que cobriram grande parte dos Estados Unidos e do Canadá nesta quinta-feira, prejudicando as atividades agrícolas e ameaçando a produção de gás natural.

Reuters |

O frio nos Estados Unidos, que eleva a demanda por combustíveis, continuou pressionando o preço do petróleo no mercado futuro, que acumula dez altas sucessivas.

A maior parte dos laranjais da Flórida escapou ao problema nesta semana, mas os produtores se preparam para uma nova onda de frio no fim de semana.

A empresa de energia Tudor Pickering Holt & Co., de Houston, disse que a produção de gás natural pode ser afetada se o frio causar o congelamento das bocas de poços em Estados importantes para a atividade, como Texas e Louisiana.

O gelo e a neve prejudicam também o tráfego de mercadorias, o que afeta os negócios no setor agrícola, especialmente grãos e pecuária.

"Foi um começo brutal de 2010 e estamos testemunhando uma onda de frio que não víamos há uma década", disse Pat Guinan, climatologista do Estado do Missouri.

Havia cerca de 70 centímetros de neve sobre o solo em Spencer, no Iowa, na noite de quarta-feira, e mais 10-15 centímetros caíram durante a noite. O vento ajuda a espalhar a neve, o que torna mais difícil a manutenção das estradas.

O norte do Texas deve ter sua temperatura mais baixa desde 2002, mas, como o clima permanece seco, o gado não parece correr risco.

Na Flórida, o frio intenso pode atingir plantações de cítricos no fim de semana, provavelmente danificando as lavouras. Esse temor já elevou o preço do suco de laranja concentrado no mercado futuro de Nova York, atingindo na quarta-feira o valor mais alto desde janeiro de 2008.

Outra tempestade de neve, atualmente formando-se sobre o delta do Mississippi, pode chegar ao Meio-Oeste na semana que vem, segundo a meteorologia.

O frio intenso também afetou importantes produtores de trigo da Europa, como França, Alemanha e Grã-Bretanha. Mas grãos recentemente plantados provavelmente já desenvolveram suficiente resistência às temperaturas baixas, e a cobertura de neve em geral protege os grãos das geadas.

"Não há dúvida de que escapamos por pouco", disse um analista alemão de grãos. "Muita neve caiu no período das festas de ano novo, o que está fornecendo uma boa proteção contra as geadas".

(Reportagem adicional de Rod Nickel, Ed Stoddard, Anna Driver, Rene Pastor, Michael Hogan, Valerie Parent, Nigel Hunt e Catherine Hornby)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG