Nevasca paralisa Pequim e regiões do norte da China

PEQUIM - A maior nevasca registrada em Pequim e em outras áreas do norte da China desde 1951 paralisou boa parte do tráfego aéreo e rodoviário na região, provocou a suspensão de aulas na capital e na vizinha cidade de Tianjin, entre outras medidas de prevenção.

EFE |

Segundo a imprensa local, a neve que cai em Pequim desde sábado levou ao cancelamento ou atraso de 90% dos voos do aeroporto local, onde apenas uma das três pistas se manteve em condições de operação.

No total, 756 voos foram cancelados e 491 decolaram com atraso.

A situação pode piorar nesta segunda-feira, já que as temperaturas na capital chinesa continuam caindo e podem chegar ao patamar mais baixo em 50 anos (-16°C).

Por causa do mau tempo, as 3.500 escolas de Pequim e Tianjin suspenderam hoje as primeiras aulas do ano, algo que os 2,2 milhões de estudantes destas cidades não viam desde 2003, quando a epidemia de gripe aviária motivou ações similares.

Mais de sete mil policiais foram mandados às ruas para vigiar e orientar o trânsito, enquanto outros sete mil funcionários foram deslocados para retirar a neve das calçadas.

O Ministério da Agricultura chinês enviou especialistas para diversas províncias do país com o objetivo de reforçar as medidas de proteção contra o frio nas estufas para evitar a perda das colheitas.

Leia mais sobre: China

    Leia tudo sobre: chinanevasca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG