Nevasca atinge Costa Leste dos EUA

Uma intensa tempestade de neve atingiu violentamente a região leste dos EUA na noite de sexta-feira, afetando as regiões de Washington, Filadélfia e partes do Estado da Virgínia e das Carolinas do Norte e do Sul. Além das ameaças para a segurança da população e do impacto sobre a economia que essas nevascas geram, a tempestade poderia limitar o deslocamento dos compradores e afetar os resultados das varejistas norte-americanas ávidas por aquecer as vendas neste fim de semana, vital para o desempenho do comércio.

Agência Estado |

O "Super Sábado", como é chamado o último sábado antes do Natal, é habitualmente um dos dias mais movimentados do comércio varejista do ano, quando calcula-se que US$ 15 bilhões trocam de mãos, de acordo com a consultoria especializada em clima Planalytics. A região nordeste dos EUA representa cerca de um quarto de todas as vendas do país.

A perigosa e ameaçadora tempestade cobriu com mais de 30 centímetros de neve várias regiões. Meteorologistas previam que a nevasca poderia deixar mais 50 centímetros de neve em algumas região, incluindo Washington, Baltimore, Filadélfia e, eventualmente, atingindo Nova York. Um manto branco de cerca de 40 centímetros cobriu Charlottesville, na Virgínia, e cerca de 20 a 30 centímetros de neve haviam caído sobre Washington, segundo o Serviço Nacional de Meteorologia.

Limpadores de neve abriram caminho na Base da Força Aérea Andrews, no subúrbio de Washington, local onde aterrissou o avião que trazia o presidente dos EUA, Barack Obama, de volta de Copenhague, onde ele participou da cúpula sobre mudanças climáticas. A Casa Branca informou que Obama retornou à sua residência com uma caravana de automóveis e não com o helicóptero, em razão das condições climáticas adversas. O prefeito de Washington, Adrian Fenty, declarou estado de emergência para nevascas na cidade e meteorologistas alertavam para o risco de piora das condições climáticas nas próximas horas. No aeroporto Nacional Reagan, perto de Washington, as pistas foram tomadas por seis centímetros de neve.

A Filadélfia também declarou estado de emergência para neve e as atividades de fim de semana das escolas foram canceladas. A neve cobriu ruas e estradas na Filadélfia e no restante da região sudoeste da Pensilvânia.

Meteorologistas previam que a nevasca poderia provocar ventos de até 56 quilômetros por hora, o que provocaria condições de baixa visibilidade. As autoridades pediram para que os motoristas evitassem usar seus veículos na medida do possível.

Para o comércio varejista, o cenário não era favorável. Consumidores têm postergado suas aquisições ao máximo na esperança de encontrarem remarcações radicais de preços como ocorreram no ano passado. Mas os varejistas vinham se preparando para o fim de semana com um espírito mais positivo, uma vez que conseguiram planejar seus estoques com mais conservadorismo neste ano, reduzindo a necessidade de promoverem descontos agressivos para eliminar excessos. Analistas do setor de varejo previam que as vendas ficariam relativamente estáveis nesta temporada, mas projetavam aumento nos lucros em razão da elevação das margens.

Se os consumidores ficarem em casa, essas previsões podem não se materializar. Parte das vendas deve migrar para a internet, mas o pico da temporada de e-commerce deveria perder fôlego após a sexta-feira, o último dia em que não seriam cobradas as taxas de entrega.

Antes do fim de semana, o executivo-chefe da Toy 'R Us, Jerry Storch, afirmou que estava satisfeito com as vendas e o tráfego nas lojas. Mas ele declarou que estava angustiado monitorando a previsão do tempo porque a companhia projetava várias ofertas de última hora para atrair compradores. Alguns analistas previam que 20% das vendas de brinquedos ocorrem neste fim de semana. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: nevasca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG