Netanyahu tenta minimizar crise e diz que EUA seguem como aliados

Jerusalém, 28 mar (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tentou minimizar hoje a crise política aberta com os Estados Unidos ao assegurar que os dois países seguem sendo aliados e amigos.

EFE |

"As relações entre Israel e EUA são aquelas entre aliados e amigos e refletem uma longa tradição. Mesmo quando há diferenças de opinião, são diferenças entre amigos e seguirão sendo", afirmou o chefe de Governo ao abrir hoje em Jerusalém a reunião semanal do Conselho de Ministros.

Netanyahu se reuniu na terça-feira passada na Casa Branca com o presidente americano, Barack Obama. O encontro ocorreu a portas fechadas e teve poucas informações divulgadas.

Para a imprensa americana, o encontro de Washington é reflexo do estado da deterioração das relações entre os dois países, agravado com o anúncio da construção de 1.600 moradias em Jerusalém Oriental justo quando o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, visitava Israel.

A expansão das colônias em Jerusalém Oriental mantém bloqueadas as negociações indiretas entre israelenses e palestinos, que Obama pretendia reativar com mediação americana.

"Escutei recentemente comentários anônimos e sem fundamento na imprensa sobre a Administração americana e o presidente americano.

Eu gostaria de deixar isso claro: considero esses comentários inaceitáveis. E não procedem de ninguém que atue em meu nome", disse hoje Netanyahu. EFE db/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG