Netanyahu teme que disputa por assentamento atrase acordo de paz

WASHINGTON (Reuters) - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse nesta terça-feira temer que os diálogos de paz no Oriente Médio possam ser adiados por mais um ano se os palestinos não deixarem de lado a exigência por um congelamento total das novas construções de assentamentos israelenses. Não devemos sofrer um impasse por causa de uma exigência sem lógica e insensata, disse Netanyahu a líderes do Congresso norte-americano durante visita a Washington, segundo seu porta-voz. Isso suspenderia as negociações de paz por mais de um ano.

Reuters |

Os palestinos recuaram de um acordo para começar as negociações indiretas, intermediadas pelos EUA, com Israel há duas semanas, depois que o governo israelense anunciou planos de construir 1.600 casas para judeus nos territórios ocupados da Cisjordânia anexados a Jerusalém.

Os diálogos diretos estão suspensos desde dezembro de 2008.

O novo projeto residencial também desencadeou a disputa mais séria entre Israel e Washington desde que o presidente dos EUA, Barack Obama, assumiu o cargo no começo do ano.

Netanyahu fez seu comentário depois de uma reunião no Capitólio com líderes democratas e republicanos algumas horas antes de uma reunião mais reservada com Obama na Casa Branca.

Autoridades israelenses ignoraram receios dos palestinos sobre os assentamentos israelenses em Jerusalém Oriental, território que Israel capturou da Cisjordânia na guerra de 1967 no Oriente Médio.

Eles disseram até que os palestinos compreendiam que os blocos de apartamentos que Israel construiu para os judeus nos territórios ocupados da cidade não impediriam qualquer acordo de paz futuro.

Os palestinos querem Jerusalém Oriental como a capital de um estado que almejam na Cisjordânia e na Faixa de Gaza.

(Por Jeffrey Heller)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG