Netanyahu se interessa por ideias de enviado dos EUA para retomar diálogo

Antonio Pita. Jerusalém, 24 jan (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, manifestou hoje interesse pelas ideias para a retomada do diálogo de paz com os palestinos transmitidas, em Jerusalém, pelo enviado dos Estados Unidos para o Oriente Médio, George Mitchell.

EFE |

"Ouvi uma série de ideias sobre como impulsionar o processo político e expressei minha esperança de que essas ideias permitam a retomada do processo de paz, se os palestinos expressarem um interesse semelhante nelas, para benefício de todos aqueles que buscam a reconciliação na região", disse Netanyahu, pouco após seu segundo encontro com Mitchell em quatro dias.

Ao início da reunião semanal do Conselho de Ministros, o chefe do Governo israelense ressaltou também a "estima" de que tanto ele quanto seu Executivo têm pelo representante da Casa Branca, que irá esta tarde a Amã.

Na capital jordaniana, Mitchell se reunirá novamente com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

Na sexta-feira passada, Abbas reiterou a Mitchell, na cidade cisjordaniana de Ramala, sua exigência de que Israel coloque fim a qualquer construção nas colônias judaicas em território palestino antes de retomar o processo de paz, paralisado há mais de um ano.

Por causa de pressões dos EUA e da União Europeia (UE), Netanyahu decretou, em novembro do ano passado, uma interrupção parcial de dez meses na ampliação das colônias judaicas na Cisjordânia.

No entanto, os palestinos consideram essa medida insuficiente para retornar à mesa de negociações, porque exclui Jerusalém Oriental, 30 mil casas já começadas e edifícios públicos como escolas ou sinagogas.

Após mais uma chamada para a volta ao diálogo com os palestinos, Netanyahu mostrou sua tradicional posição sobre os assentamentos, em uma cerimônia de plantio de árvores nos blocos de colônias judaicas de Gush Etzion, Ma'aleh Adumim e Ariel.

O primeiro-ministro e líder do partido direitista Likud deixou clara a "mensagem" do ato: "estamos aqui e estaremos aqui. Plantamos e construímos, esta é uma parte inseparável para sempre do Estado de Israel".

Gush Etzion, Ma'aleh Adumim e Ariel são três grandes colônias situadas, respectivamente, no centro e no sul de Jerusalém e no norte da Cisjordânia, cuja soberania Israel busca reter caso haja a criação de um Estado palestino.

"Este evento expressa a unidade existente dentro da nação sobre a importância que estes lugares permaneçam sempre como parte do Estado de Israel. Encorajo a todos os membros do Parlamento a se levantar para plantar nos blocos (de colônias), em nossa terra", acrescentou no ato, por ocasião da véspera da festividade judaica do Tu Bishvat, celebrado no próximo sábado.

O enviado da Casa Branca tinha inicialmente previsão de concluir ontem sua missão em Israel e nos territórios palestinos, mas a prorrogou para se reunir novamente, ontem à noite e esta manhã, com o ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, e com Netanyahu, respectivamente.

Na quinta-feira passada, em seu encontro com o presidente israelense, Shimon Peres, Mitchell sugeriu que se reunisse com Abbas, em Berlim, para tentar colocar fim ao ponto morto diplomático no Oriente Médio, informou hoje o jornal israelense "Yedioth Ahronoth".

A ideia também foi transmitida à parte palestina, às vésperas de que Peres viaje amanhã à capital alemã, onde pronunciará um discurso perante o Parlamento por ocasião do aniversário da libertação do campo de extermínio de Auschwitz.

A chanceler alemã, Angela Merkel, deve oferecer Berlim como sede para o encontro palestino-israelense durante a reunião que manterá com Peres dentro de sua visita, segundo o jornal. EFE ap-nm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG