Jerusalém, 9 fev (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, reuniu-se hoje com os embaixadores europeus lotados no país e lhes pediu para que seus países imponham sanções imediatas ao Irã, que iniciou hoje o enriquecimento de urânio a 20%.

"O Irã está avançando em sua corrida armamentista nuclear enquanto menospreza os desejos da comunidade internacional, que precisa proteger a paz e impor sanções", disse Netanyahu aos diplomatas no hotel King David de Jerusalém, em um encontro convocado pelo embaixador espanhol, Álvaro Iranzo, como representante da Presidência rotativa da União Europeia.

O chefe do governo israelense pediu aos europeus para que as sanções ao Irã não sejam "parciais e moderadas", mas "paralisantes e imediatas", informou à Agência Efe seu porta-voz, Mark Regev.

Netanyahu lembrou ainda que nos últimos dias os líderes de Teerã pediram "a aniquilação do Estado de Israel", e disse aos embaixadores europeus que "Israel espera que todos os governos responsáveis do mundo condenem duramente essas declarações, embora isso exija mais do que palavras".

Cientistas iranianos iniciaram hoje o processo de enriquecimento de urânio a 20% na usina nuclear de Natanz, na região central do país, informou a rede de televisão estatal iraniana.

O Ministério de Relações Exteriores do Irã advertiu hoje através de seu porta-voz, Ramin Mehmanparast, que as sanções internacionais não impedirão que seu país abandone seu programa nuclear, que disse ser para fins pacíficos. EFE.

aca/id

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.