Netanyahu pede ao papa que censure Irã por querer fim de Israel

Jerusalém, 14 mai (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu hoje ao papa Bento XVI, em uma reunião em Nazaré, que, como figura moral, censure as chamadas do Irã ao desaparecimento de Israel.

EFE |

"Pedi que, como figura moral, faça ouvir sua voz alta, clara e de forma constante contra as declarações do Irã sobre sua intenção de destruir Israel", afirmou Netanyahu à imprensa após o encontro.

O chefe de Governo israelense deixou claro ao pontífice, que termina amanhã sua peregrinação à Terra Santa, que não pode ser possível que "no início do século XXI haja um Estado dizendo que vai destruir o Estado judeu".

Para Netanyahu, falta "uma voz enérgica condenando isso", embora reconheça que ficou satisfeito com a resposta do papa.

"Ele me disse que condena toda forma de antissemitismo e o ódio contra o Estado de Israel, contra a humanidade em seu conjunto, mas nesse caso contra Israel", comentou.

O porta-voz vaticano Federico Lombardi ressaltou que os dois líderes analisaram durante a reunião o processo de paz no Oriente Médio e o modo de fazer isso "avançar".

O pontífice e Netanyahu falaram a sós durante 15 minutos, no convento dos franciscanos de Nazaré, a cidade de María, José e Jesus. EFE ap/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG