Netanyahu ordena investigação de falhas durante visita de Biden a Israel

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, decidiu neste sábado criar uma comissão para investigar as falhas ocorridas durante a visita do vice-presidente americano, Joe Biden, quando foi anunciado um projeto de colonização que desatou protestos internacionais.

AFP |

"O primeiro-ministro (...) deseja que se examine o que aconteceu durante a visita do vice-presidente Biden, e definir as regras para que tais fatos não voltem a ocorrer no futuro", disse um porta-voz.

O Ministério do Interior anunciou, nesta semana, um projeto de construção de 1.600 casas em Ramat Shlomo, um bairro judeu ortodoxo situado em Jerusalém oriental, cuja anexação em 1967 por Israel não é reconhecida pela comunidade internacional.

O anúncio desatou tensões diplomáticas com a administração Obama, em plena visita de Biden, e a exasperação dos palestinos. Também suscitou condenações unânimes na comunidade internacional.

Netanyahu condenou esta crise diplomática, reconhecendo que a data do anúncio havia sido "inoportuna", sem no entanto voltar atrás na decisão de construir em Jerusalém oriental.

O primeiro-ministro disse que não havia sido posto a par da decisão da comissão de planejamento urbana do Ministério do Interior.

A crise de Israel com os Estados Unidos caiu mal sobretudo porque Washington acabava de arrancar um acordo para as negociações indiretas entre israelenses e palestinos através de seu enviado especial, George Mitchell.

A Autoridade Palestina do presidente Mahmud Abas anunciou que não voltará à mesa de negociações até que seja suspensa a colonização judaica em Jerusalém oriental.

ms/agr/mvv

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG