Netanyahu e Livni não chegam a acordo sobre coalizão

JERUSALÉM ¿ O líder do partido nacionalista Likud, Benjamin Netanyahu, e a do centrista Kadima, Tzipi Livni, não chegaram a um acordo para a formação de um governo de união nacional. Os dirigentes se reuniram nesta sexta-feira, em Tel Aviv, pela segunda vez em menos de uma semana.

Redação com agências internacionais |


Clique para ver o infográfico


Segundo o jornal Haaretz, Netanyahu ofereceu a Livni "uma completa e igual participação no processo de paz", mas não se comprometeu com a idéia central do processo de paz de Annapolis, cuja aplicação é defendida por ela: a criação de um Estado palestino.

Ao sair da reunião, Livni disse que não houve acordo sobre questões essenciais e que o Kadima fará uma oposição responsável a Netanyahu. Apoiarei o governo que se formar quando for necessário, para fazer frente às ameaças contra Israel, afirmou.

Antes da reunião, fontes dos dois partidos tinham dito que as chances de acordo eram pequenas. Segundo o "Ha'aretz", a reunião aconteceu porque Netanyahu queria "mostrar que tentou todas as opções para se comprometer com Livni, com ofertas generosas e sem precedentes".

Assim, acrescenta o jornal, ele poderá atribuir à adversária política a responsabilidade por ter de negociar a coalizão com partidos de extrema direita e ultra-ortodoxos.

O líder do Likud obteve a tarefa de formar governo, apesar de nas eleições seu partido ter obtido 27 cadeiras no Parlamento, uma a menos que o Kadima.

Leia também:


Leia mais sobre Israel

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG