Netanyahu diz que não haverá paralisação total nos assentamentos

Jerusalém, 14 set (EFE).- O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse hoje ao Knesset (Parlamento de Israel) que não haverá uma paralisação total da construção nos assentamentos judaicos, mas uma redução, por um período limitado.

EFE |

"Os palestinos esperam uma completa paralisação, (mas) agora está claro que isso não ocorrerá", disse o primeiro-ministro, em um comparecimento perante a Comissão de Exteriores e Segurança do Knesset.

O chefe do Governo israelense explicou que, além das 455 casas na Cisjordânia aprovadas por seu Executivo no último dia 6, a construção na parte leste de Jerusalém continuará de forma normal, porque essa cidade "não é um assentamento", assim como a de qualquer imóvel que estiver em construção neste momento.

"Esclarecemos aos Estados Unidos que continuaremos os trabalhos em 2,5 mil casas cuja construção começou. Autorizamos 450 adicionais. O que declarei é que consideraremos reduzir o alcance da construção", justificou.

Em qualquer caso, disse, a "redução" será por um "período limitado", que ainda não foi estipulado com Washington.

O primeiro-ministro israelense compareceu hoje perante a Comissão de Exteriores e Segurança em uma sessão periódica de controle por parte dos legisladores, em um debate que esteve centrado no processo de paz com os palestinos e na visita do enviado especial americano, George Mitchell, com quem se reunirá amanhã.

A imprensa local informou que Netanyahu falou de certos progressos e da exigência da Casa Branca, assim como do resto da comunidade internacional e dos palestinos, para que Israel interrompa qualquer tipo de construção nos assentamentos judaicos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. EFE elb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG