Netanyahu depõe em comissão que investiga ataque à frota de ajuda

Primeiro-ministro israelense disse ter certeza que exército do país agiu de acordo com a legislação internacional

EFE |

Jerusalém - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, compareceu nesta segunda-feira perante a Comissão Turkel para prestar depoimento sobre o ataque do Exército israelense, no dia 31 de maio, à frota humanitária que se encaminhava para a Faixa de Gaza e que acabou com a morte de nove civis turcos.

"Tenho certeza que a investigação demonstrará que o Estado de Israel e as Forças de Defesa de Israel (IDF) atuaram de acordo com a legislação internacional e que os lutadores do IDF a bordo do Mavi Marmara mostraram um valor admirável enquanto realizavam seu trabalho e se protegiam a si mesmos de uma ameaça real contra suas vidas", disse Netanyahu aos membros da comissão, segundo o serviço de notícias "Ynet".

A denominada "Comissão Pública para Examinar o Incidente Marítimo do dia 31 de maio de 2010", liderada pelo ex-presidente do tribunal supremo Jacob Turkel, tem uma capacidade investigadora limitada e seu objetivo é "esclarecer" os fatos e não atribuir responsabilidades aos políticos e militares que tomaram as decisões.

Seus membros deverão determinar se as ações do Estado de Israel para impedir a chegada da frota humanitária a Gaza foram realizadas de acordo com o direito internacional, e também se pronunciar sobre a legalidade do bloqueio marítimo que Israel impôs à região palestina em 2006. O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, comparecerá amanhã perante a comissão investigadora, algo que também fará na quarta-feira o chefe do Estado-Maior, Gabi Ashkenazi.

    Leia tudo sobre: iGisraelturquiafrota humanitáriaataque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG