Buenos Aires - O ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner, considerado o homem forte do país, permanecerá 48 horas em tratamento intensivo e poderá retomar suas atividades após passar com sucesso por uma operação de urgência na carótida.

A cirurgia foi "bem-sucedida" e Kirchner está "em tratamento intensivo com controle evolutivo", informa o breve relatório médico assinado pelo médico Marcelo Ballesteros, subdiretor da Unidade Médica Presidencial, após a cirurgia, que durou uma hora.

Kirchner, de 59 anos, foi operado de urgência para remover uma placa ulcerosa na artéria carótida direita.

O médico Víctor Caramutti, um dos seis cirurgiões que participou da operação, explicou que o paciente "tinha uma placa complicada (na carótida) que motivou a intervenção de urgência".

O médico disse à rede "C5N" que Kirchner começou a sentir durante a manhã "transtornos da mobilidade no membro inferior e superior esquerdos", o que levou seus médicos a optar pela cirurgia.

A partir de agora, o ex-presidente permanecerá 48 horas em tratamento intensivo, mas, uma vez recebida a alta médica, poderá seguir uma vida "totalmente normal", embora tenha que controlar o estresse, disseram os médicos.

O ex-presidente (2003-2007) e deputado governista foi acompanhado na clínica por sua esposa, a atual presidente, Cristina Fernández, seus dois filhos e um reduzido grupo de altos funcionários próximos ao casal.

Néstor Kirchner também passou pela sala de cirurgia durante sua Presidência, quando sofreu uma gastroduodenite hemorrágica provocada por um analgésico receitado em um tratamento odontológico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.