Néstor Kirchner lamenta atritos entre Colômbia e Venezuela

Kirchner, ex-presidente da Argentina, lamenta que dois países latinos "tenham este nível de confronto"

EFE |

O secretário-geral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o argentino Néstor Kirchner, lamentou neste sábado as tensões entre Colômbia e Venezuela, que culminaram na ruptura das relações bilaterais.

Para Kirchner, ex-presidente da Argentina (2003-2007), "dói que dois países latino-americanos" como Venezuela e Colômbia "tenham este nível de confronto". "Vamos trabalhar para que possamos reunir os Governos e não afetar a profunda relação entre os povos", ressaltou o secretário-geral, numa cerimônia na província argentina Santiago del Estero, ao lado da esposa, a atual governante Cristina Kirchner.

O secretário-geral da Unasul receberá na próxima segunda-feira em Buenos Aires o presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, em meio ao conflito entre Caracas e Bogotá. Néstor Kirchner e Santos discutirão a "grave crise" entre os dois países, na qual o argentino colabora como mediador, afirmaram porta-vozes oficiais à agência estatal "Telam".

No dia 5 de agosto, Kirchner se reunirá com o líder venezuelano, Hugo Chávez, em Caracas, quando também conversará sobre os atritos na América do Sul.

    Leia tudo sobre: ColômbiaVenezuelaÁlvaro UribeArgentinaKirchner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG