Nestlé nega venda de produtos com melamina na Arábia Saudita

Cairo, 4 dez (EFE).- A Nestlé negou que tenha vendido produtos adulterados com melamina na Arábia Saudita, como denunciaram ontem as autoridades desse país, segundo um comunicado enviado hoje à Agência Efe.

EFE |

A Comissão Geral de Alimentação e Medicina saudita emitiu ontem uma nota em seu site denunciando a alta concentração de melamina - um composto químico utilizado na fabricação de plásticos e resinas - em produtos procedentes da China e da Malásia, entre os quais se encontra o leite em pó da Nestlé.

"Todos os produtos lácteos Nestlé que são vendidos na Arábia Saudita, como em qualquer parte do mundo, são completamente seguros para o consumo. Nenhum produto Nestlé é fabricado com leite adulterado com melamina", disse o comunicado da empresa.

O texto explicou que em 18 de outubro a empresa retirou do mercado, a pedido das autoridades sauditas, o leite em pó da marca Nesvita.

Segundo a Nestlé, esse produto, que já não se encontra no mercado saudita, foi analisado por um laboratório independente e pela própria companhia. Os resultados mostraram que a melamina encontrada estava abaixo dos limites estabelecidos por vários Governos e por instituições como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Nestlé criticou, além disso, o fato de as autoridades sauditas terem anunciado a descoberta de restos de melamina em um produto já retirado do mercado.

A Arábia Saudita começou a analisar vários produtos depois da descoberta de toneladas de leite adulterado fabricado na China nos últimos meses.

O escândalo disparou as suspeitas contra os produtos fabricados na China, onde quatro bebês morreram e outros 53 mil ficaram doentes por ingerir leite com melamina. EFE ssa/ab/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG