Nepalesa que teve 25 filhos diz que não queria ter nenhum

Katmandu, 15 dez (EFE).- No Nepal, onde a média de filhos por mulher é de 3,1 crianças, Shanta Maya Nepali foi mãe 25 vezes, mas diz que se pudesse voltar atrás não teria nenhum.

EFE |

"Vivi uma vida cheia de sofrimento. Só eu sei quanta dor tive que suportar", diz à Agência Efe Shanta Maya, de 56 anos, que deu à luz sempre em sua casa, em uma aldeia no distrito central de Dhading, sem assistência alguma. Somente sete de seus filhos sobreviveu.

Um dos bebês de Shanta Maya e de seu marido, Dil Bahadur Nepali, nasceu morto e outros 17 faleceram com até dez meses de vida.

O primeiro filho do casal foi um menino que morreu e, posteriormente, Shanta deu à luz uma menina que conseguiu sobreviver.

Encorajados, o casal tentou ter mais bebês, mas Shanta perdeu sete filhos seguidos e novamente teve uma menina, uma coisa ruim na mentalidade dos hindus, que preferem ter descendentes homens.

Shanta Maya seguramente desconhece as estatísticas sobre Nepal de que 281 mulheres morrem por cada 100 mil nascimentos, segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Dil Bahadur assegura que ele e sua mulher não teriam tido tantos filhos "se mais deles tivessem sobrevivido a princípio".

Mas também admite que somente na época do nascimento de seu último filho obteve informações sobre a existência de medidas de planejamento familiar.

"Após o 25º nascimento, os vizinhos me informaram sobre o planejamento familiar e então operaram minha mulher", conta.

Segundo dados oficiais, somente 46% da população nepalesa utiliza algum tipo de método anticoncepcional ou recorre a operações de esterilização para controlar a natalidade.

Dos filhos que sobrevivem, o mais velho tem 36 anos e o mais novo 12, três estão casados e deram aos Nepali 13 netos até o momento.

EFE ms-mb/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG