Nepal proíbe protestos às vesperas dos 50 anos da revolta tibetana

Nova Délhi, 28 fev (EFE).- As autoridades nepalesas proibiram manifestações ao redor da seção consular da embaixada chinesa, ao passo que a Polícia intensificou as medidas de segurança para evitar incidentes às vésperas do 50º aniversário da revolta tibetana, informou hoje uma fonte da corporação.

EFE |

"Foi declarada zona proibida toda área a um raio de 200 metros da seção de vistos da embaixada chinesa", disse o chefe da Polícia de Katmandu, Nabaraj Silwal.

Silwal disse que a restrição, que entrou em vigor ontem, proíbe manifestações e a colocação de cartazes.

Só ontem, 27 exilados tibetanos foram detidos nas proximidades da representação diplomática chinesa, dos quais 18 já foram soltos, enquanto os outros nove permanecem sob custódia até a verficação de de seu status legal no Nepal, acrescentou a fonte.

No ano passado, monges budistas, apoiados pela população civil, promoveram protestos para lembrar o aniversário da fracassada rebelião de 1959 no Tibete. EFE ms/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG