Neonazista alemão é julgado por cumprimentar judeu com saudação a Hitler

Berlim, 24 nov (EFE).- O advogado e ideólogo neonazista Horst Mahler, freqüentador dos Justiça alemã por negar o Holocausto, responde desde hoje perante um tribunal por fazer a saudação hitlerista a um representante da comunidade judaica.

EFE |

Mahler -de 72 anos e que foi membro da organização terrorista Fração do Exército Vermelho (RAF) antes de e tornar neonazista- é acusado de incitação à violência por saudar com um "Heil, Hitler!" o ex-vice-presidente do Conselho Central dos Judeus da Alemanha, Michel Friedman.

Trata-se do segundo julgamento por este mesmo caso, já que ele apresentou recurso contra a sentença de dez meses de prisão imposta na primeira instância, em abril.

Concretamente, Mahler é acusado de incitação ao ódio racial pela saudação a Friedman, quem lhe entrevistava para a edição alemã da revista "Vanity Fair", e pelas declarações vertidas na conversa, nas quais qualificou a Adolf Hitler de "redentor do povo alemão".

O ideólogo neonazista, ex-advogado e membro do Partido Nacional Democrático (NPD), foi processado em numerosas ocasiões por crimes de caráter racista e uso de símbolos anticonstitucionais.

Mahler foi membro de fundação da socialista RAF na época em que ela era dirigida por Andreas Baader e Ulrike Meinhof e passou vários anos na prisão durante os anos 70.

Nos anos 90, ele deu uma reviravolta ideológico rumo à extrema direita e, em 2000, filiou-se ao NPD, que reúne os neonazistas alemães. EFE gc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG