Nelson Jobim promoverá Conselho Sul-americano de Defesa no Cone Sul

Brasília, 12 mai (EFE).- O ministro da Defesa do Brasil, Nelson Jobim, viajou hoje ao Cone Sul para promover diante dos presidentes da Argentina, Chile e Uruguai a criação do Conselho Sul-americano de Defesa, iniciativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

EFE |

Jobim, encarregado por Lula para a apresentação do projeto perante os governantes sul-americanos, viajou esta segunda-feira à Argentina, onde esta terça-feira começará uma série de reuniões de alto nível que incluem um encontro com a presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner.

O Ministério da Defesa indicou em comunicado que Jobim viajou acompanhado pelo Comandante do Exército, geral Enzo Martins Peri; o comandante militar do Sul, general José Elito Carvalho Siqueira, e o diplomata Marcos Vinícius Pinta Gama, representante da Chancelaria.

O ciclo de viagens será concluído na próxima semana na Bolívia, quando Jobim será recebido em La Paz pelo chefe de Estado boliviano, Evo Morales.

"A proposta de criação do Conselho, de uma maneira geral, teve boa receptividade entre os Governos sul-americanos e será discutida pelos presidentes da região na Cúpula da União de Nações Sul-americanas (Unasul), prevista para 23 de maio na capital brasileira", diz o comunicado.

Jobim deixou claro que "não se trata de uma aliança militar convencional, como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), mas de uma aliança de diálogo entre os ministérios de Defesa para uma integração do pensamento visando a formação de uma política regional de defesa", acrescentou.

Os princípios de "não-intervenção à soberania de cada país, à autodeterminação dos povos e à integridade territorial" são defendidos no objetivo da iniciativa, que seria aplicada às vertentes amazônica, andina e "platina" em assuntos como posições conjuntas perante organismos e em missões de paz.

Em Buenos Aires, após uma reunião nessa segunda-feira com agregados militares do serviço diplomático brasileiro no Cone Sul, Jobim se reunirá na terça-feira com a ministra da Defesa, Nilda Garré, o chanceler Jorge Taiana e a presidente Cristina.

Na quarta-feira terá reuniões em Santiago com seu colega de Defesa, José Goñí, e a governante Michelle Bachelet, além de participar da abertura do III Encontro Internacional de Direito Humanitário e Direito Militar que será realizado na capital chilena.

Em Montevidéu o ministro brasileiro repetirá na quinta-feira uma agenda similar com seu colega uruguaio de Defesa, José Bayardi, delegado para a reunião bilateral pelo presidente Tabaré Vázquez, e com legisladores.

Em outra passagem pela América do Sul, Jobim já se reuniu com os governantes da Venezuela, Guiana, Suriname, Colômbia, Equador, Peru e Paraguai. EFE wgm/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG