Neil Armstrong: primeiro homem a pisar na Lua e heroi planetário

Ao colocar um pé na Lua ao vivo diante de centenas de milhões telespectadores boquiabertos, Neil Armstrong se tornou no dia 20 de julho de 1969 no primeiro ser humano que pisou em solo extraterrestre.

AFP |

Este homem modesto, hoje com 78 anos, se transformou em heroi planetário instantaneamente, um ícone da odisseia do espaço.

Suas primeiras palavras ao pisar na Lua - "É um pequeno passo para um homem, um passo gigantesco para a humanidade "- figuram nos livros de história. Desde então, falou pouco em público, evitando microfones e câmaras. Vive há 30 anos com a segunda esposa em uma fazenda afastada de Ohio, norte dos Estados Unidos.

Sua frase legendária foi objeto de debate por muito tempo. A gravação de áudio da época, de pouca qualidade, dá a entender que omitiu um artigo antes da palavra homem ("a" man, em inglês). Armstrong sempre afirmou ter pronunciado uma frase bem construída. Em 2006, um analista de informática australiano deu razão ao astronauta ao recuperar a palavra que faltaba com um sofisticado software.

Na qualidade de comandante da missão Apollo 11, foi ele quem informou o centro de controle de Houston (Texas) da alunissagem do módulo lunar (LEM) pilotado por Buzz Aldrin: "Houston, aqui a base do Mar da Tranquilidade. A águia pousou".

Em seguida deu um grande salto sobre a superfície lunar, seguido 20 minutos mais tarde por Aldrin. Os dois pioneiros exploraram o solo durante duas horas e meia. Eles coletaram 21 quilos de rochas, fizeram fotografias e fincaram uma bandeira dos Estados Unidos.

No entanto, a honra de dar os primeiros passos na Lua deveria ter sido do piloto do LEM, Buzz Aldrin.

Segundo James Hansen, autor de uma biografia de Armstrong, a Nasa acabou dando preferência ao comandante da Apollo 11, por considerá-lo mais apto a assumir a carga da celebridade.

A viagem à Lua foi a última aventura espacial de Armstrong. Uma aventura que o marcou para sempre.

O comandante se aposentou da agência espacial americana em 1971 para trabalhar como professor de Engenharia Aeroespacial na Universidade de Cincinnati, Ohio, até 1979.

Mais tarde, o ex-astronauta ocupou cargos no conselho de administração de várias empresas, incluindo Lear Jet e United Airlines. Ele até apareceu em um comercial da montadora Chrysler.

Seus fãs chegam a ser fetichistas. Em 2005 foi divulgado que seu cabeleireiro vendeu seus cabelos a um colecionador por 3.000 dólares.

Nascido em Wapakoneta, Ohio, em 5 de agosto de 1930, o jovem Armstrong era fascinado por aviões desde a infância. Fez cursos de pilotagem aos 15 anos e obteve a licença um ano mais tarde.

Já como piloto da Marinha, realizou 78 missões de combate durante a guerra da Coreia (1950-1953).

Armstrong estudóou Engenharia Aeronáutica na Universidade de Purdue (Indiana) e obteve o mestrado na mesma área na Universidade da Califórnia do Sul.

Em 1955 se tornou piloto de testes e voou em 50 tipos de aviões para ser selecionado sete anos depois pela Nasa e virar astronauta.

Em setembro de 1966 fez um voo tripulado com David Scott na missão Gemini 8. A cápsula se acoplou a outro veículo não tripulado, no primeiro acoplamento orbital de dois módulos espaciaies.

Mais tarde chegaria a missão Apollo 11 e o nome de Neil Armstrong entrou para a História.

js/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG