Negociador iraniano considera reunião positiva e minimiza ameaças dos EUA

Teerã, 21 jul (EFE).- O principal negociador iraniano no âmbito nuclear, Saeed Jalili, qualificou hoje de positiva a reunião do sábado em Genebra com o alto representante de Política Externa e Segurança Comum da União Européia (UE), Javier Solana, e representantes do grupo que negocia as atividades nucleares iranianas.

EFE |

Jalili disse que no encontro, com a presença do subsecretário de Estado americano para Assuntos Políticos, William Burns, "não se falou sobre a suspensão pelo Irã do enriquecimento de urânio", exigência da comunidade internacional, e minimizou a importância das advertências dos EUA a seu país se não renunciar às atividades atômicas.

"Decidimos continuar as conversas e eles (os países do grupo de negociação) aceitaram essa idéia. Acho que, através das negociações, chegaremos a um entendimento", disse Jalili, após seu retorno esta madrugada a Teerã, segundo a agência "Irna".

Após a reunião do sábado, Solana tinha afirmado que os iranianos não apresentaram uma resposta concreta aos incentivos do grupo de negociação (EUA, França, Reino Unido, Rússia e China, além da Alemanha) para resolver o conflito com o Irã.

Os EUA insistiram em que os iranianos suspendam as atividades de enriquecimento de urânio, e o porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, advertiu a Teerã que "tem que escolher entre a cooperação ou o confronto".

Hoje, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, acusou os iranianos, em declarações na República da Irlanda, de não levar a sério a reunião em Genebra, e advertiu sobre medidas punitivas contra Teerã se este não suspender o enriquecimento de urânio, que pode ter uso tanto civil quanto militar.

"Todas as partes têm suas alternativas. Todo o processo dependerá de se olhamos para o futuro de um ponto de vista de cooperação e colaboração positiva ou com inquietação mútua e visões não positivas", disse Jalili.

"Comunicaram suas idéias e nós lhes transmitimos as nossas, e em duas semanas nos reuniremos de novo (...). Temos que tratar os pontos comuns das idéias das duas partes para que possamos chegar a um entendimento sobre a continuidade das negociações", acrescentou.

O Irã apresentou sua própria proposta para solucionar o caso nuclear e insiste em que as duas partes negociem os "pontos comuns" dos dois planos, enquanto considera "indiscutível" a suspensão do enriquecimento de urânio, já que "é direito legítimo do povo iraniano". EFE fa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG