Negociações para reunificação do Chipre começarão dia 3 de setembro

Nicósia, 25 jul (EFE).- As negociações diretas para a reunificação do Chipre começarão no dia 3 de setembro entre as comunidades turca e grega da ilha, anunciaram hoje em Nicósia seus respectivos líderes, Mehmet Ali Talat, da República Turca do Chipre do Norte, e Dimitris Christofias, presidente da República do Chipre.

EFE |

Os dois dirigentes explicaram que a partir desta data se reunirão uma vez por semana para avançar com o processo, e anunciaram como medida de criação de confiança a abertura de um novo ponto de cruzamento entre os dois setores em que é dividida a ilha desde 1974.

Este novo cruzamento será aberto em uma área entre o setor turco e grego.

"O objetivo desta negociação é alcançar uma solução aceitável para o problema cipriota que salvaguarde os legítimos direitos e interesses dos povos gregos e turcos", declararam os dois líderes por meio de um comunicado após a reunião que tiveram hoje.

Talat e Christofias anunciaram que a solução a que se chegue será confirmada por "referendos simultâneos e separados" entre as duas comunidades em que é dividida a ilha mediterrânea.

Em sua última reunião, no último dia primeiro, Talat e Christofias concordaram que a solução deve consistir em um sistema federal com duas comunidades com apenas uma personalidade legal internacional e uma soberania, assim como uma cidadania baseada no princípio de igualdade política entre cipriotas gregos e turcos.

A abertura de contatos diretos acontece após a revisão da "luta dos grupos de trabalho e comitês técnicos" criados para facilitar o caminho à negociação política, que conta com o apoio da ONU.

Além do novo cruzamento, Talat e Christofias aprovaram 16 medidas de colaboração no que diz respeito ao meio ambiente, herança cultural e gestão de crise.

Um reflexo do "compromisso" entre os dois líderes é "a criação de uma linha telefônica direta para facilitar o contato" entre eles.

Igualmente, os dois dirigentes aplaudiram a nomeação de Alexander Downer como novo enviado especial da ONU para a ilha mediterrânea e mostraram seu desejo de trabalhar com ele "no período que se aproxima".

As tropas turcas invadiram e ocuparam o Chipre em 1974, deixando o terço norte da ilha sob seu controle e criando a República Turca do Norte do Chipre, só reconhecida pelo Governo de Ancara.

Já a República do Chipre, de maioria grega e que ocupa dois terços da ilha, é reconhecida pela comunidade internacional e desde 2004 é membro da União Européia (UE). EFE fl/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG