Negociações com seqüestradores de navio ucraniano estariam prestes a terminar

Kiev, 3 out (EFE).- As negociações sobre o pagamento do resgate de US$ 20 milhões com piratas somalis que seqüestraram o navio ucraniano Faina estão prestes a terminar, informou hoje o canal de televisão Inter.

EFE |

O canal cita representantes dos piratas que finalizam as negociações sobre o pagamento do resgate com a companhia ucraniana Tomex Team, proprietária do navio com bandeira do Belize, seqüestrado em 25 de setembro com 33 tanques e 21 marinheiros a bordo.

As fontes disseram que os piratas continuam exigindo US$ 20 milhões, desmentindo algumas informações sobre o suposto aumento do resgate para US$ 30 milhões.

Enquanto isso, o Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia se pronunciou hoje mesmo pela solução do problema do seqüestro "pela via pacífica e evitando o recurso da força".

O Conselho ressaltou, em uma declaração, que a Rússia e os Estados Unidos, cujos navios de guerra se encontram perto do litoral somali, defendem também uma solução pacífica deste incidente.

O navio "Faina", que se dirigia para Mombassa (Quênia), transportava 33 tanques T-72, lança-granadas e munição no valor de cerca de US$ 10 milhões, e atualmente permanece ancorado perto do litoral somali.

De acordo com a Chancelaria ucraniana, a tripulação do navio era formada por 17 ucranianos, três russos e um letão, mas o capitão, o russo Vladimir Kolobkov, morreu depois do seqüestro devido a um ataque de hipertensão. EFE bk/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG