Negligência causou incêndio em creche no México, diz Promotoria

MÉXICO - A Promotoria do Estado mexicano de Sonora afirmou nesta segunda-feira que houve negligência no incêndio ocorrido na última sexta-feira em uma creche da cidade de Hermosillo, que até agora já deixou 44 crianças mortas, todas com menos de quatro anos.

EFE |

Reuters
Parentes de crianças choram em frente a hospital
Parentes choram em
frente a hospital

"Vamos atuar responsavelmente para que, se houver pessoas que, por negligência, tenham provocado isto, paguem a responsabilidade que lhes corresponde", declarou em entrevista coletiva o procurador estadual, Abel Murrieta.

Materiais tóxicos, portas de emergência trancadas, tetos falsos, paredes fracas e instalações elétricas defeituosas foram a combinação fatal no incêndio da creche ABC do Instituto Mexicano do Seguro Social, dirigida por particulares.

No sábado, o diretor-geral do Seguro Social, Daniel Karam, disse que a inspeção da creche realizada em 26 de maio indicou que o local atendia a todos os requisitos em matéria de segurança.

Apoiando-se em documentos, fotografias e vídeos dos peritos encarregados da investigação, Murrieta explicou como aconteceu o incêndio em uma adega da Secretaria de Fazenda de Sonora e porque o fogo se propagou de maneira fulminante até alcançar a creche.

A creche e a adega faziam parte da mesma estrutura e estavam separadas por uma parede de poliuretano que dificilmente conseguiria conter o fogo.

O teto da creche não estava selado, era falso, tinha uma lona e havia sido construído com material que não é mais usado justamente pelo risco que provoca em caso de incêndio.

Os especialistas das Procuradorias federal e estadual concordam que a origem do incêndio foi um refrigerador de ar que havia no armazém, mas também trabalham com a hipótese de curto-circuito.

Leia mais sobre incêndio

    Leia tudo sobre: incendioincêndio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG