Nazista Aribert Heim poderia estar no sul do Chile

Santiago do Chile, 8 jul (EFE).- O criminoso de guerra nazista Aribert Heim está vivo e muito provavelmente refugiado no sul do Chile, disse hoje em Santiago o diretor do Centro Simon Wiesenthal de Jerusalém, Efraim Zuroff.

EFE |

Zuroff viajou a Santiago junto a uma equipe do Centro Simon Wiesenthal para coordenar as buscas pelo criminoso nazista apelidado de "Doutor Morte", responsável pelo assassinato de centenas de pessoas no campo de concentração de Mauthausen.

"Este ano, pela primeira vez, Heim lidera a lista dos criminosos nazistas mais procurados", disse Zuroff.

"Ele é o número um porque matou pessoalmente centenas de pessoas.

Não há dúvidas de que ele é culpado. Isto está perfeitamente documentado. Além disso, torturou suas vítimas antes de matá-las e usou partes de seus corpos para fazer objetos de decoração em seu escritório", detalhou.

A busca pelo "Doutor Morte", que teria hoje 94 anos, começará em Puerto Montt, no sul do Chile.

Segundo Zuroff, viveria nessa cidade a filha de Heim, Waltraud Boser, o que aumenta a suspeita de que o criminoso nazista está refugiado em Puerto Montt ou em Bariloche, na Argentina.

A delegação iniciará amanhã as buscas pelo criminoso nazista no sul do Chile, onde esperam contar com a ajuda dos moradores da região. A equipe do Centro Simon Wiesenthal também fará investigações na patagônia argentina.

A viagem ao Chile faz parte de uma operação lançada há cinco anos pelo Centro Simon Wiesenthal para encontrar os últimos nazistas que continuam vivos mais de 60 anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial.

Heim, que nasceu na Áustria, trabalhou como médico nos campos de extermínio de Buchenwald, Mauthausen e Sachsenhausen.

Após a guerra, foi enviado por tropas dos Estados Unidos a um campo de detenção de nazistas, mas não foi submetido a julgamento e acabou liberado, disse Zuroff.

Pouco depois se transferiu para a Alemanha, onde trabalhou como ginecologista em Baden-Baden.

As autoridades perderam seu rastro em 1962, mas as suspeitas indicam que ele se refugiou em países como Espanha, Egito e Uruguai.

Durante anos, aconteceram várias tentativas para localizar Heim, embora sua família afirme que ele morreu em 1993.

O Centro Simon Wiesenthal oferece uma recompensa de 315 mil euros por pistas que levem à captura do "Doutor Morte". EFE mw/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG