Cerca de 50 navios de carga e passageiros estão presos no gelo, no Mar Báltico, há mais de 24 horas. Barcos quebra-gelo já liberaram quatro balsas e continuam trabalhando no local.

Algumas das embarcações estão presas nas águas entre Estocolmo e as Ilhas Aaland, enquanto outras estão no Golfo de Bothnia, entre a Suécia e a Finlândia, mais ao norte.

Segundo as autoridades marítimas da Suécia, ninguém está ferido e não há planos de evacuação, mas muitos dos navios ainda devem passar horas no gelo.

"Equipes de resgate estão à disposição, caso seja necessária alguma ação", informou à BBC Peter Lindquist, das autoridades marítimas da Suécia.

A balsa Amorella, que transportava cerca de 950 passageiros da Finlândia para a Suécia, chegou a Estocolmo na manhã desta sexta, depois de ser liberada durante a madrugada.

Outras duas balsas, Isabella e Finnfellow, foram liberadas na quinta-feira. A Suécia e a Finlândia enviaram barcos quebra-gelo para a região.

Gelo
"O gelo, normalmente, não seria um problema para navios mercantes, o problema agora é o vento, que chega a uma velocidade de 20 metros por segundo", disse mais cedo à Rádio Suécia Jonas Lindvall, controlador da unidade de barcos quebra-gelo da marinha sueca.

Duas balsas chegaram a colidir, porém sem gravidade, quando tentavam manobrar em meio às placas de gelo.

Mats Nystrom, passageiro na balsa Amorella, disse que este foi o momento mais dramático da operação.

"De repente, uma voz nos auto-falantes pediu que todos os passageiros se movessem imediatamente para a popa. Claro que nesse momento os passageiros ficaram preocupados, imaginando o que estaria acontecendo", disse Nystrom ao canal de TV sueco SVT.

Mas ele acrescentou que não houve pânico a bordo do navio.

Este é o inverno mais rigoroso dos últimos 15 anos na região, mas, segundo Lindquist, as condições meteorológicas devem melhorar no fim de semana.

Muitas das empresas suecas de balsas, no entanto, cancelaram seus serviços até que a situação melhore.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.