Navios de guerra russos chegam à Venezuela, diz Chávez

CARACAS (Reuters) - Uma frota de navios de guerra russos chegou à Venezuela na terça-feira para fazer exercícios navais em conjunto com o país caribenho, disse o presidente Hugo Chávez. Os exercícios, que estão sendo acompanhados com atenção pelos Estados Unidos, coincidem com a visita do presidente russo, Dmitry Medvedev, que chega à Venezuela na quarta-feira.

Reuters |

A visita faz parte de um tour pela América do Sul que inclui o Brasil, onde ele está agora, e Cuba. Medvedev veio à América Latina no momento em que a queda do preço do petróleo está preocupando os países produtores de energia, como a Rússia e a Venezuela.

A Venezuela, membro da Opep, é o principal aliado da Rússia nas Américas desde a Guerra Fria. Moscou vê em sua ligação com Chávez uma maneira de fazer frente à influência norte-americana sobre as suas fronteiras no Cáucaso.

Chávez disse que os exercícios navais não têm o objetivo de irritar Washington, seu principal comprador de petróleo e alvo de seus discursos mais furiosos.

"Não há nada de provocação, apenas a construção de relações e, mais importante, o nascimento de um mundo multipolar", disse Chávez na segunda-feira.

Chávez se beneficia de um aliado tão poderoso quanto a Rússia em sua tentativa de diminuir a importância dos Estados Unidos na política e no comércio global.

O governo norte-americano disse não considerar importante a visita de Medvedev à Venezuela. Sean McCormack, porta-voz do Departamento de Estado, zombou da visita, perguntando se os navios seriam "acompanhados de rebocadores".

Para ele, não há dúvidas quanto a quem tem o poder militar e econômico na região. "Vamos acompanhar (a visita) com atenção, mas não acho que alguns navios russos no Caribe, com os venezuelanos, vá levantar a sobrancelha de alguém".

(Por Frank Jack Daniel)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG