Navios da Otan vão combater piratas na Somália

A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) anunciou nesta quinta-feira que enviará sete navios de guerra para a costa da Somália para reprimir ataques de piratas na região. Uma das funções da esquadra será escoltar barcos que levam ajuda humanitária da ONU para o país africano, onde se calcula que metade dos 3 milhões de habitantes depende de doações de alimentos.

BBC Brasil |

Em entrevista à BBC, o porta-voz da Otan, James Appathurai, disse que os barcos devem chegar à região em cerca de duas semanas.

"Eles serão capazes de usar a força quando e se for necessário, respeitando o previsto na lei internacional", disse.

Navios de vários países já estão patrulhando a costa da Somália, onde dezenas de embarcações foram atacadas por piratas nas últimas semanas.

Barco ucraniano
Os perigos enfrentados por barcos na região ganharam maior destaque há duas semanas, quando uma embarcação ucraniana carregada de armamentos foi tomada por um grupo de piratas.

Os criminosos estão pedindo milhões de dólares em troca do navio MV Faina, que transporta 33 tanques, além de metralhadoras e outras armas pesadas.

Os piratas também mantêm prisioneiros os tripulantes.

O barco está cercado por navios de guerra na costa perto da cidade somali de Hobyo.

País vulnerável
Nesta semana, a ONU aprovou uma nova resolução autorizando o uso da força contra piratas.

A Somália é um país especialmente vulnerável à ação dos criminosos em sua costa devido à instabilidade política.

Há 17 anos, o país é palco de conflitos envolvendo diferentes grupos que lutam pelo poder.

De acordo com um relatório recente, a pirataria na costa da Somália já forçou o pagamento de US$ 30 milhões em resgates de navios só neste ano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG