Navios da China escoltam petroleiro taiuanês no Golfo de Áden

Pequim, 13 jan (EFE).- Os navios de guerra chineses que patrulham as águas da Somália contra possíveis ataques de piratas escoltaram uma embarcação petroleira taiuanesa no Golfo de Áden, informou hoje a imprensa local.

EFE |

A embarcação, de 70.426 toneladas, é propriedade da companhia Plastics Marine, filial do grupo petroquímico Formosa Plastics, maior companhia privada de Taiwan.

Junto com o petroleiro taiuanês, a Marinha da China escoltou ontem dois navios chineses e um barco filipino registrado no país asiático, em sua primeira missão da história fora do Pacífico, que começou em 6 de janeiro, informou o diário independente "South China Morning Post".

O Governo taiuanês havia assegurado, na semana passada, que seus navios não pediriam escolta da China para atravessar o Golfo de Áden, em resposta ao oferecimento do Governo do gigante asiático.

Taiwan se separou da China de forma unilateral em 1949 e, desde então, o gigante asiático reivindica a ilha como parte de seu território. EFE trr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG