Navio de guerra russo cruza o Canal do Panamá pela primeira vez em 64 anos

Um navio de guerra russo cruzou o Canal do Panamá pela primeira vez em mais de 60 anos, atracando neste sábado em uma antiga base naval dos Estados Unidos na capital panamenha, após ter participado de manobras conjuntas com a marinha venezuelana no mar do Caribe.

AFP |

O "Almirante Chabanenko" entrou no Canal vindo do Oceano Atlântico na noite de sexta-feira, alcançando o Pacífico algumas horas depois. Nas primeiras horas deste sábado, foi atracado na ex-base americana de Rodman, onde a embarcação de 451 tripulantes permanecerá pelos próximos cinco dias.

O navio russo de 169 metros de comprimento e 8.200 toneladas participou nesta semana de manobras navais com a Venezuela, consideradas uma mostra do poderio russo no Caribe veladamente dirigida aos Estados Unidos.

O primeiro vice-presidente e chanceler do Panamá, Samuel Lewis Navarro, declarou que, como "todos sabemos, o Canal do Panamá está aberto a todas as embarcações do mundo e isso está previsto pelos Tratados de Neutralidade".

Moscou não exibia presença militar no hemisfério desde os tempos da Guerra Fria, quando manteve uma estreita relação com Cuba, e seus navios de guerra bloquearam a passagem pelo Canal do Panamá, então sob o controle dos Estados Unidos.

As únicas embarcações de guerra da ex-União Soviética a cruzar o Canal foram quatro submarinos, em 1944, quando Washington e Moscou eram aliados na guerra contra a Alemanha nazista.

"A única vez que um evento semelhante ocorreu tem mais de 60 anos, durante a Segunda Guerra Mundial em 1944, quando quatro submarinos russos passaram pelo Canal do Panamá do Atlântico para o Pacífico após passar por reparos", lembrou a Embaixada da Rússia no Panamá.

O "Almirante Chabanenko" é um caça-submarinos pertencente à Frota do Norte russa, e permanecerá até a próxima quinta-feira na antiga base americana, que fica na capital panamenha.

Durante sua estadia, seus tripulantes conhecerão alguns lugares do país, tendo sido convidados também para participar de competições de futebol e vôlei com membros do Serviço Naval do Panamá.

"A visita amistosa ao país do navio russo elevará ainda mais o prestígio internacional do Panamá como grande potência marítima e do Canal do Panamá como uma via interoceânica verdadeiramente neutra", indicou a Embaixada russa em um comunicado.

A base de Rodman abrigou militares americanos até 1999, quando foi entregue ao Panamá como parte da devolução da Zona do Canal.

Enquanto Moscou e Washington enfrentam uma crise diplomática devido ao sistema antimísseis que os Estados Unidos pretendem instalar na Polônia e na República Tcheca, a Rússia expandiu sua cooperação militar com Cuba e Venezuela.

bur-fj/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG