Navio americano sequestrado por piratas ruma ao Quênia sem seu comandante

O navio cargueiro que havia sido sequestrado por piratas somalis mas foi posteriormente libertado por sua tripulação americana está rumando nesta quinta-feira para Mombassa, no Quênia, segundo familiares dos tripulantes. Mas o capitão do navio Alabama Maersk, Richard Phillips, ainda está sob poder dos sequestradores, mantido como refém em um pequeno bote salva-vidas em alto-mar.

BBC Brasil |

Agentes do FBI, a polícia federal americana, estão envolvidos nas negociações para a libertação do capitão que, segundo seus familiares, teria se oferecido aos sequestradores em troca da libertação de seus homens.

Acredita-se que existam quatro piratas no bote junto com o marinheiro americano e suas exigências não estão claras.

Suposições
Analistas dizem que as negociações podem ser longas e é possível que os piratas exijam um grande resgate pelo capitão, além de indenização por um outro barco que foi afundado durante o ataque.

Calcula-se também que o bote esteja equipado com mantimentos para uma semana, embora marinheiros do Alabama digam que os sequestradores estariam sem combustível.

O cargueiro levava ajuda alimentícia para Uganda e Somália. Ele foi capturado a cerca de 500 km da costa somali na madrugada de quarta-feira.

Navios da Marinha americana estão acompanhando o Alabama até a capital queniana.

Problema crônico
Também nesta quinta-feira, os militares dos EUA disseram que vão enviar mais navios para patrulhar as águas sem lei que se estendem do norte da costa do Quênia, da Somália, Iêmen e o Golfo do Áden, uma das principais rotas comerciais do mundo, que une a Europa e a Ásia.

Os ataques de piratas aumentaram rapidamente nos últimos anos. Mais de 130 foram registrados em 2008, incluindo mais de 50 sequestros.

Os piratas normalmente liberam os navios e suas tripulações depois do pagamento de altos resgates pelas empresas de transportes marítimos.

Calcula-se que, apenas no ano passado, foram pagos mais de US$ 80 milhões em resgates.

Este foi o sexto navio capturado na área nesta semana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG