Navio alemão é o quarto seqüestrado em 48 horas nas águas da Somália

MOGADÍSCIO - Um navio alemão foi seqüestrado na quinta-feira por piratas somalis nas águas do Golfo de Áden, a quarta embarcação capturada nessa área em 48 horas, após outros malaio, japonês e iraniano, informou uma fonte policial na Somália.

EFE |

O delegado de Polícia do distrito de Eyl, Abdulahi Said Yousef, que não deu mais dados sobre a embarcação, mas disse por telefone que os piratas levam os navios para essa zona da região autônoma de Puntlândia, no nordeste da Somália.

Com estes quatro, sobre para pelo menos sete o número de navios seqüestrados por piratas somalis nos últimos 30 dias na área de Puntlandia, cujas autoridades acusaram as Marinhas de vários países que patrulham a área de não fazer o suficiente para acabar com a pirataria.

Yousef acrescentou que "conseguimos ver um dos navios perto do litoral, mas não sabemos qual é".

"Os piratas utilizam pequenas embarcações para levar comida, água e qat (folhas de efeito estimulante catalogadas como droga) e estão fortemente armados", acrescentou Yousef.

Além disso, Yousef disse que os piratas "estão em cumplicidade com a principal milícia que controla a zona, o que impede que a polícia possa agir contra eles".

O ministro de Pesca e Recursos Marítimos de Puntlândia, Ahmed Said Awnur, disse que "as Marinhas que estão em águas da Somália, como as dos EUA, França, Alemanha e Canadá, fracassaram em acabar com a pirataria".

Awnur advertiu que as autoridades regionais não podem acabar com os piratas e mostrou seu temor de que estes adquiram poder político, "ao obter milhões de dólares em resgates".

A costa da Somália, com mais de 3.300 quilômetros, especialmente na área do Golfo de Áden, entre este país e o Iêmen, se transformou em refúgio seguro para os piratas e uma das áreas mais inseguras do mundo para o transporte marítimo internacional.

Leia mais sobre piratas

    Leia tudo sobre: somália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG