Nave russa Soyuz retorna à Terra após missão na ISS

Moscou, 19 abr (EFE).- A nave russa Soyuz TMA-11 pousou hoje na Terra a 420 quilômetros do lugar previsto após missão na Estação Espacial Internacional (ISS).

EFE |

A nave era tripulada pelo cosmonauta russo Yuri Malenchenko, pela americana Peggy Whitson e pela primeira astronauta sul-coreana da história, Yi Sob-yeon.

O módulo se desviou do curso previsto ao fazer uma aterrissagem balística durante a descida, e por isto pousou nas estepes do Cazaquistão 21 minutos depois do planejado, às 5h51 (horário de Brasília).

O diretor da Agência Espacial Russa (Roscomos), Anatoli Permínov, disse que os cosmonautas estão em perfeito estado de saúde.

Especialistas do Centro de Controle de Vôos Espaciais (CCVE) afirmaram que é pouco freqüente que o módulo se desvie do seu curso e lembraram que na história da ISS isto só aconteceu uma vez em 2003 e outra em 2007.

O presidente da empresa que fabrica naves russas lembrou que a descida em uma rota balística é uma das três formas possíveis de aterrissagem.

Os astronautas da expedição número 16 da ISS, Whitson e Malenchenko, retornaram à Terra após permanecerem quase 192 dias na plataforma orbital, onde chegaram em 12 de outubro do ano passado.

Em sua segunda missão espacial, Whitson se tornou a primeira mulher a ficar no comando da ISS e bateu a marca de permanência no espaço de astronautas americanos, com 376 dias, três a mais que Michael Foale, até então dono do recorde.

Além disso, a astronauta da Nasa (agência espacial americana), que viajou pela primeira vez à estação como engenheira de bordo da expedição número 5, comemorou seu 48º aniversário na plataforma orbital.

Já para Malenchenko foi sua quarta expedição na carreira, que fez com que o russo chegasse ao um total de 517 dias no espaço.

Durante sua estada na ISS, na qual realizou uma série de experiências e trabalhos, o cosmonauta não deixou de participar das duas eleições realizadas em seu país: o pleito para a Duma (Parlamento Russo) em dezembro e o pleito presidencial de março.

O chefe da Roscosmos qualificou a missão ISS-16 como "a mais complicada da história da Estação Espacial" pelo grande volume de trabalho.

Whitson e Malenchenko receberam na plataforma orbital duas naves de carga russas, três naves americanas e o primeiro cargueiro europeu, Júlio Verne.

A sul-coreana Yi So-yeon, que chegou no último dia 10 à ISS a bordo da nave Soyuz TMA-12 (expedição 17), se tornou a primeira astronauta de seu país a viajar ao espaço.

Durante sua permanência na plataforma orbital, a astronauta realizou uma série de experiências biológicas, geofísicas, científicas e médicas e se comunicou ao vivo com estudantes sul-coreanos para explicar a Lei da Gravidade através de exemplos.

A expedição de número 17 para plataforma orbital é integrada pelos cosmonautas russos Oleg Kononenko e Serguei Volkov, além do astronauta americano Garrett Reisman, e voltará à Terra em junho.

A nave Soyuz TMA-12, na qual viajou a astronauta sul-coreana, permanece na ISS.

As Soyuz, assim como as naves americanas, servem para os tripulantes da plataforma orbital como um "bote salva-vidas", onde poderiam abandonar a ISS em caso de despressurização, incêndio ou qualquer outro imprevisto. EFE egw/rr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG