GUATEMALA (EFE) - O arcebispo da Malásia, Julius Danaraj Paul, morreu afogado junto com mais dois turistas, entre eles um francês, quando a lancha em que viajavam naufragou na tarde de ontem no lago de Atitlán, que fica na região turística de Panajachel, oeste da Guatemala, informaram hoje fontes oficiais.

Um porta-voz da Polícia Nacional Civil (PNC) informou que também morreram o turista francês Guillermo Frezot, e o guatemalteco Valerio Cogüitz Costal.

Outras três pessoas, cujos nomes e nacionalidades se desconhecem, permanecem desaparecidas.

"A lancha saiu do cais de Santiago Atitlán, e cerca de três quilômetros adiante, em um lugar conhecido como Ilha dos Gatos, virou. Outras oito pessoas que viajavam na lancha foram resgatadas com vida", precisaram as autoridades.

Fontes da Igreja Católica da Guatemala disseram desconhecer os motivos que levavam o bispo Danaraj ao seu país, pelo que presumem que ele se encontrava na qualidade de turista.

"Estamos tratando de nos comunicar com a arquidiocese da Malásia para coordenar sua repatriação", explicaram.

Segundo versões divulgadas pela imprensa local, a lancha, que transportava turistas entre os povoados que circundam o lago de Atitlán, estava sobrecarregada, e os fortes ventos que castigam a região provocaram o acidente.

Os grupos de socorro realizam trabalhos de resgate nas águas do lago, que tem uma profundidade de 225 metros, para encontrar as outras três pessoas que foram dadas como desaparecidas.

Os cadáveres das vítimas foram transferidos à capital guatemalteca, e o arcebispo malaio e o turista francês devem ser repatriados a seus respectivos países nos próximos dias.

O lago de Atitlán, com cerca de 18 quilômetros de diâmetro, é uma dos principais atrações turísticas da Guatemala, sendo visitado por mais de 500 mil turistas estrangeiros por ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.